Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
6 julho 2018
Texto de Jaime Pina (Médico, Fundação Portuguesa do Pulmão) Texto de Jaime Pina (Médico, Fundação Portuguesa do Pulmão)

Ondas de calor

​​​​​​O que fazer para passar o Verão sem sustos.

Tags
Fruto do aquecimento global, os fenómenos meteorológicos extremos são mais frequentes e intensos. Em Portugal, é nos meses de Junho e Julho que o fenómeno ocorre com maior frequência.

As ondas de calor estão associadas a problemas de saúde que potenciam o aumento de episódios de doença e urgência hospitalar, e excesso de mortalidade. Se este fenómeno atinge a população em geral, estão bem definidos os grupos de pessoas mais vulneráveis: crianças, idosos, obesos, pessoas com doenças crónicas (diabetes, alcoolismo, doenças respiratórias, cardiovasculares, renais e hepáticas), pessoas acamadas ou com problemas psiquiátricos, pessoas socialmente fragilizadas e trabalhadores expostos ao sol.

É a esta população que devem ser dirigidas campanhas de informação, com a indicação dos principais cuidados a ter. Por exemplo:

  • Aumentar a ingestão de líquidos (evitar bebidas alcoólicas, açucaradas e gaseificadas). Não esquecer que as crianças muito pequenas e os idosos podem não sentir sede, pelo que devem ser estimulados e ajudados na ingestão de líquidos
  • Fazer refeições leves e frequentes. Evitar comidas pesadas ou muito condimentadas
  • Procurar ambientes frescos, com ar condicionado. Se na sua residência tal não for possível, procure-os em cinemas, museus, centros comerciais ou grandes superfícies
  • Evitar a exposição solar, sobretudo entre as 11h00 e as 17h00. Se tiver que se expor ao sol, faça-o com a adequada protecção: chapéu de aba larga, óculos escuros com protecção contra a radiação UVA e UVB, protector solar (factor de protecção superior a 30) e roupa leve de algodão e larga, de cores claras, que cubra a maior parte do corpo 
  • Evitar a praia nas horas mais quentes. Os idosos e as crianças até aos três anos não devem ir à praia nos dias de intenso calor ou então devem ir apenas no início da manhã e ao fim da tarde. As crianças mais pequenas devem evitar a exposição solar directa
  • Arrefecer a pele com banhos de água tépida 
  • Evitar actividades ao ar livre que exijam muito esforço físico, nomeadamente em profissões como a construção civil ou a jardinagem e em desportos, como o atletismo ou o ciclismo, sobretudo nos períodos de maior calor
  • Ter particular cuidado com as viaturas expostas ao sol. Nunca deixar crianças, idosos, ou pessoas fragilizadas no interior de veículos, onde a temperatura pode atingir valores superiores a 65º C. Se a viatura não tiver ar condicionado deve viajar com as janelas parcialmente abertas
  • Proteger a habitação, evitar a entrada do calor fechando persianas e portadas, e ventilá-la a partir do entardecer quando a temperatura do exterior for inferior à do interior. Os idosos, pessoas acamadas e crianças devem ter pouca roupa na cama
  • Lembre-se dos outros. Informe-se sobre o estado de saúde de pessoas isoladas, dependentes, idosas ou frágeis do ponto de vista mental ou social que vivam perto de si. Ajude-as a superar os dias de grande calor.
Notícias relacionadas