Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
5 maio 2022
Texto de Sandra Costa Texto de Sandra Costa Fotografia de Pedro Loureiro Fotografia de Pedro Loureiro Vídeo de André Torrinha Vídeo de André Torrinha

Dez anos de Teatro do Vão

​​​​​​​Associação cultural dá expressão a novas linguagens artísticas e novos criadores.

Tags
Há dez anos, Teresa Tavares fundou o Teatro do Vão, com Daniel Gorjão e Sara Garrinhas, uma associação cultural que ambiciona «dar expressão a novas linguagens artísticas e novos criadores». O projeto nasceu da necessidade de encontrar um espaço de criação e experimentação. Uma década depois, continua a não ter um espaço físico, mas já produziu dezenas de espetáculos, trabalha em coproduções com outros teatros, por vezes apoia artistas fora da estrutura. 

Para a atriz, o Teatro do Vão materializa «a vontade de fazer coisas, de agir à nossa volta». A determinação é uma caraterística da personalidade de Teresa Tavares, para quem o importante é concretizar. «Começamos sem nada, a não ser uma ideia e é assim que começam as coisas. Depois, se acreditarmos e trabalharmos, os projetos crescem. Parece sempre impossível até estar feito». 

Teresa Tavares estreou-se como atriz, aos 17 anos, na telenovela da TVI Jardins Proibidos, em 2000. No mesmo ano, apresentou-se numa peça da Inestética Companhia Teatral, de Alexandre Lyra Leite, onde frequentara aulas de teatro. Quando trocou a vila da Azambuja por Lisboa, estudou Ciências de Comunicação, na Universidade Nova, mas acabou por optar pela Escola Superior Teatro e Cinema de Lisboa.