Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
2 novembro 2018
Texto de Rodrigo Abreu (Nutricionista) Texto de Rodrigo Abreu (Nutricionista)

Viva a sopa

​​​​​Saboreie saúde este Inverno.

Tags
Nos dias mais frios as saladas podem dar lugar às sopas. Há indicadores de um consumo insuficiente de hortaliças em Portugal, o que é irónico num país com tão rica tradição de sopas. Esta realidade é particularmente relevante nas crianças. Afinal, porque não gostam de sopa? Na maioria das vezes, porque não estão habituadas. O ritmo de vida dos pais deixa pouco tempo para comprar e confeccionar alimentos frescos. Em muitos lares come-se o que for mais rápido ou conveniente. Isso significa frequentemente não ter sopa feita. O que, mais uma vez, é irónico. Porque a sopa é uma solução fácil para todos estes problemas. Senão vejamos:

  • É uma forma simples de aumentar a ingestão de legumes e hortaliças, mesmo para quem não gosta do sabor de alguns. Misturados e triturados, pode conseguir--se combinações ao gosto de cada um.

  • É fácil de preparar. É só cozer legumes, triturar (ou não) até obter a consistência desejada e acrescentar (ou não) algo para trincar. Pode fazer-se quantidade suficiente para dois ou três dias. Basta cozinhar ao domingo e uma vez a meio da semana.

  • Há sopas para todos os gostos. Simples, apenas de legumes, ou tão completas (com batata, leguminosas, carne ou peixe) que podem ser uma refeição. Também se pode adaptar a textura, dos caldos ligeiros aos caldos mais ricos, com massa, mais completos. E sem esquecer a temperatura, porque também há sopas que se comem frias.

Vale a pena dedicar algum tempo a preparar uma boa sopa. Variar a cor dos legumes que utiliza é o ponto de partida – diferentes cores correspondem a diferentes nutrientes. Abóbora e cenoura são fonte de vitaminas A e C, e também possuem carotenóides e betacaroteno, nutrientes importantes na manutenção da pele e da visão. Já os legumes de folha verde escura são boas fontes de minerais, como ferro, potássio ou magnésio, sendo ainda ricos em folatos, importantes na prevenção de anemias. Os vegetais brancos como a couve-flor, a cebola ou o alho, são fontes de cálcio, selénio e flavonoides, que ajudam na manutenção da saúde óssea e do aparelho circulatório. Tudo boas razões para ir variando a sopa.

Por fim, lembre-se de que para a sopa preservar o máximo de nutrientes, deve evitar altas temperaturas e tempos prolongados de cozedura, pois o calor excessivo destrói muitos dos nutrientes das verduras. E quanto ao azeite, junte-o apenas no final da cozedura, em quantidade moderada.


Notícias relacionadas