Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
16 outubro 2020
Texto de Sandra Costa Texto de Sandra Costa Fotografia de Pedro Loureiro Fotografia de Pedro Loureiro Vídeo de André Oleirinha Vídeo de André Oleirinha

Publicidade vintage no Museu da Farmácia

​​​​​​​​​A exposição “Vintage PUB – a memória das farmácias” abriu ao público.

Tags
Para os apaixonados pela publicidade e interessados na saúde, o Museu da Farmácia, em Lisboa, propõe uma visita à publicidade farmacêutica da década de 1960. A exposição, também disponível online, reúne anúncios inseridos neste período em publicações do Grémio Nacional das Farmácias, a organização que representou o sector durante o Estado Novo.

Vintage PUB – a memória das farmácias” inclui anúncios de comprimidos, unguentos, xaropes e pomadas, acompanhados de sugestivas ilustrações e adjectivos como «poderoso», «revigorante», «seguro» ou «forte». É possível encontrar anúncios alusivos aos temas “Corpos Sãos”, que fazem a apologia da vitalidade, forma física e energia; “Pelas Crianças”, onde os mais novos ilustram cartazes relativos a adesivos, pensos rápidos, xaropes ou suplementos alimentares; “De Bom Humor”, com anúncios «que pretendem despertar um sorriso na cara dos visitantes», como explica Gonçalo Magano, curador do Museu da Farmácia; e “Nunca Esquecidos”, que recordam exemplos de publicidade que ficaram para a história, como os anúncios ao Melhoral, Bradoral ou à papa Nestum. 

Os quatro temas são ilustrados por exemplares de medicamentos que fazem parte do espólio do Museu da Farmácia, apresentados em vitrina. «Procurámos criar uma sinergia com peças do Museu da Farmácia, apresentando amostras físicas da especialidade farmacêutica que era vendida nas farmácias e que era objecto do anúncio», explica Gonçalo Magano. Junto aos anúncios são disponibilizados QR Codes, que redireccionam para o website da exposição, dando acesso a mais informação.


​A exposição inclui ainda um núcleo dedicado ao Arquivo Histórico das Farmácias, projecto da Associação Nacional das Farmácias (ANF). Aqui se encontram um boletim do Grémio Nacional das Farmácias que foi alvo da censura, o documento fundador do Museu do Farmácia, a primeira acta do então Grémio Distrital das Farmácias, de 1938, ou as palmas académicas que o Estado francês atribuiu à professora Odette Ferreira. «Um conjunto de documentos que são eles mesmos, como diz o título da exposição, a memória da farmácia», considera Paulo Martins, coordenador do projecto.

É ainda possível apreciar a “Mesa do Ontem e Hoje”, onde se mostra a evolução dos boletins e das publicações que marcaram a história do associativismo farmacêutico ao longo dos anos. Estão expostos o boletim número 1 e o número 100 do Grémio Nacional das Farmácias, um exemplar da Pharmaka (publicação editada numa parceria entre o Grémio e o Sindicato dos Farmacêuticos) e dois exemplares distantes no tempo da revista Farmácia Portuguesa. 

A exposição “Vintage PUB – a memória das farmácias” foi inaugurada a 15 de Outubro, data do 45.º aniversário da ANF, e pode ser visitada até 31 de Janeiro, entre as 10h e as 19 horas, com entrada gratuita.​

 

Notícias relacionadas