Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
2 novembro 2018
Texto de Hugo Rodrigues (Pediatra) Texto de Hugo Rodrigues (Pediatra)

O prazer dos bebés

​​​​​​​Chupeta sim, na dose certa.

Tags
Nos últimos anos começou a ser posta em causa a vantagem de utilização da chupeta nos bebés. Importa perceber quais as vantagens e desvantagens associadas ao uso. 

Desvantagens: 
  • É um mamilo artificial. Como a forma é parecida com um mamilo, há quem defenda que a chupeta pode interferir com a amamentação, pelo que só se deve introduzir depois desta estar bem estabelecida 


  • Aumenta o risco de otites. Ao criar vácuo com a sucção, a pressão nos ouvidos pode ficar alterada, o que aumenta a probabilidade de surgir uma otite 


  • ​​Causa deformidades nos dentes. O espaço que a chupeta ocupa na boca vai impedir a correcta oclusão dos dentes, o que faz com que fiquem desalinhados e, eventualmente, menos funcionais 

Vantagens: 
  • Tem um efeito calmante. A sucção não nutritiva é uma necessidade de todos os bebés e uma fonte de prazer para eles 

  • Diminui a probabilidade de chuchar nos dedos. Se a chupeta pode provocar problemas dentários, o hábito de chuchar nos dedos é ainda pior, pelas deformações dentárias que provoca e dificuldade em retirar o hábito 

  • Parece ser um factor protector para a Síndrome da Morte Súbita. Apesar de não se saber bem qual o motivo, o uso de chupeta parece diminuir a probabilidade de morte súbita

Pesando os aspectos positivos e negativos, penso que o uso da chupeta pode ser vantajoso. Segundo as recomendações das principais sociedades científicas, só deve ser introduzida depois da amamentação estar bem estabelecida, após as três semanas de vida. 

O desmame deve ser iniciado por volta dos 18 meses de idade durante o dia, deixando o nocturno para depois dos dois anos. As estratégias para o conseguir são diversas, mas o ideal é envolverem alguma negociação. Podem incluir oferecer a chupeta a algum familiar bebé, a um animal ou ao Pai Natal, por exemplo. Se for uma decisão forçada, a probabilidade de correr mal e surgir mais resistência por parte da criança é maior, pelo que não me parece a melhor estratégia.



PRISÃO DE VENTRE 

Tenho uma filha de dois anos que se queixa de dor na barriga todas as vezes que come. Desde há umas semanas, as dores são acompanhadas de vómito. Ela tem prisão de ventre e tosse seca. 
No caso da sua filha, a dor de barriga pode estar relacionada com a prisão de ventre, pelo que o mais importante é tentar aumentar a ingestão de fibras para ver se ajuda. Deve comer mais legumes verdes, citrinos, kiwi, ameixa, papaia e reduzir os alimentos que dificultam a libertação das fezes, como a batata ou a banana. Se mesmo assim a situação não se resolver, pode fazer sentido o uso de um laxante pediátrico, para ver se ajuda. Outra causa possível para essas queixas pode ser uma intolerância à lactose, podendo experimentar trocar o leite por leite sem lactose, para testar a resposta.


LACTOSE 

Aos sete meses, o meu filho teve campylobacter e foi-me recomendado fazer-lhe dieta sem lactose. Nessa altura bebia leite materno e artificial. Passei a um leite sem lactose. Quando voltei ao leite normal ele voltou a fazer diarreia. Desde então dou sempre sem lactose. Agora já tem 12 meses. Que leite posso dar? 
Como já está bem há cinco meses e, nesses casos, a intolerância à lactose é geralmente transitória, penso que pode voltar a testar gradualmente um leite sem lactose, para ver como é que ele reage. O ideal é manter um leite adaptado até aos três anos, pelo que essa seria a melhor opção.
Notícias relacionadas
Links relacionados