Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
3 março 2018
Texto de Hugo Rodrigues (Pediatra) Texto de Hugo Rodrigues (Pediatra)

A importância dos bons exemplos

​​​​​​​​​​​Momentos de descontrolo podem ser interiorizados como abuso de forma.

Tags
A forma como agimos, reagimos e nos comportamos é assimilada pelos nossos filhos. Isso é evidente quando percebemos que, por volta dos três anos, eles se comportam como nós. E, se é um motivo de orgulho, é também uma responsabilidade acrescida que nos deve acompanhar permanentemente.

No mês do Dia do Pai, aqui ficam alguns conselhos para os pais (muitos deles também para as mães, como é claro):
  • Envolva-se afectivamente com o seu filho. Os momentos de qualidade entre pai e filho são muito importantes, pelo que é fundamental arranjar tempo para brincar de forma genuína e sem distracções por perto (televisões, telemóveis)
  • Participe nas tarefas de casa. Se as crianças perceberem que as tarefas são divididas entre pai e mãe vão desenvolver naturalmente um espírito de ajuda e cooperação que manterão na idade adulta
  • Envolva-se no dia-a-dia dos seus filhos. Acordar as crianças de manhã, preparar a roupa, fazer o pequeno-almoço, preparar as mochilas ou os sacos dos treinos e outras actividades do género devem ser feitas pela mãe e pelo pai, pois isso demonstra um interesse real nas actividades dos filhos
  • Seja justo e não se exalte sem motivo. Este ponto é muito subjectivo, mas a verdade é que geralmente os homens são mais altos do que as mulheres, têm uma voz mais grossa e, portanto, acabam por impor naturalmente mais respeito. Este facto deve ser utilizado para dar segurança aos filhos e, por esse motivo, deve evitar-se momentos de descontrolo (insultar alguém quando se está a conduzir, por exemplo), pois pode ser interpretado e (erradamente) interiorizado pelos mais pequenos como um “abuso” de força
Não se esqueça de ser um bom exemplo, porque os seus filhos estão constantemente a observá-lo e a aprender consigo, mesmo quando parecem estar distraídos.


[Sílvia Barros]
A minha bebé tem sete meses. Normalmente dou- -lhe leite materno antes de ir dormir, por volta das 23h. Há noites em que acorda várias vezes a chorar mas penso que não seja fome, porque outras vezes dorme a noite toda. Se entrar no quarto para ver se está tapada, ela sente e acorda. Acho que tem um sono muito leve. Há algo que possa fazer para ela dormir descansada (e deixar os pais descansar) durante a noite? 
O ideal é que ela adormeça sozinha na cama dela, ou seja, que não precise do leite para adormecer, para não “exigir” também contacto físico quando acordar a meio da noite. Se desperta facilmente, o melhor será tentar vestir-lhe um pijama mais quente, para não ter de a ir tapar durante a noite, pois assim evita ir ao quarto dela.

[Dora Borralho]
O meu filho tem 13 anos e anda há uma semana com dor de barriga. Não tem febre nem diarreia nem vómitos, mas tem muita dor principalmente à noite. Já foi três vezes ao centro de saúde e nada o faz melhorar. Já não sei o que fazer mais. Ajude-me por favor.
Por vezes há pequenas inflamações dos gânglios da barriga que causam esse tipo de dor durante cerca de sete a dez dias. O mais importante é estar atenta aos sinais de alarme, nomeadamente as dores que o fazem acordar durante a noite, emagrecimento, os vómitos repetidos ou a interferência com as actividades do dia-a-dia. Sempre que está presente algum desses sinais, é importante uma observação médica.

Pergunte ao pediatra:
O Dr. Hugo Rodrigues responde.​
Notícias relacionadas
Links relacionados