Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
19 julho 2022
Texto de Sandra Costa Texto de Sandra Costa Fotografia de Pedro Loureiro Fotografia de Pedro Loureiro Vídeo de Hugo Costa Vídeo de Hugo Costa

Literacia em Saúde para idosos

​Projeto abrange 640 idosos vulneráveis, de cinco concelhos algarvios.

Tags
​Na Farmácia Penha, mesmo junto ao hospital de Faro, Margarida Querido recebe os utentes Rosa e Alfredo da Palma Anastácio. O casal de 74 e 77 anos, respetivamente, vem receber apoio sobre a medicação que toma habitualmente. Ambos são polimedicados na sequência de vários problemas de saúde: Alfredo usa um pacemaker, é hipertenso e tem diabetes; Rosa, além de hipertensa, sofre de osteoporose. A farmacêutica-adjunta encaminha-os para o gabinete, pede para retirarem as embalagens do saco de plástico, verifica prazos de validade, pergunta onde costumam guardá-los, se têm algum tipo de dificuldade na toma e manuseamento. Terminada a conversa, Alfredo faz um balanço positivo: «Chamam-nos a atenção sobre como devemos tomar os medicamentos, se houver falhas são corrigidas. É vantajoso, aprendemos sempre qualquer coisa».

A revisão terapêutica é o mais recente serviço do Espaço Saúde 360o Algarve, que tem por missão promover a literacia em saúde nos idosos vulneráveis da região algarvia. O projeto, promovido pela Plataforma Saúde em Diálogo e financiado pelo Programa Operacional Regional do Algarve (CRESC Algarve) e pela Portugal Inovação Social, foi distinguido com o terceiro lugar do Prémio de Boas Práticas 2022 Algarve Active Ageing, na categoria Coesão e Participação Social. A nova atividade, chamada “Eu conheço os meus medicamentos”, arrancou em fevereiro com o apoio de 14 farmácias de Loulé, Tavira, São Brás de Alportel e Faro. Já abrange 60 dos 640 utentes do projeto e o objetivo é estendê-la a mais idosos polimedicados.


O serviço de revisão terapêutica é o mais recente serviço do projeto Espaço Saúde 360° Algarve, da Plataforma Saúde em Diálogo 

«No início, os beneficiários estranharam, agora já estão a aderir», explica Ricardo Valente. Para o gestor da iniciativa, «o novo serviço é um contributo muito válido e uma forma interessante de as farmácias se envolverem em projetos sociais». A ideia nasceu da farmacêutica Margarida Espírito Santo, docente na Escola Superior de Saúde da Universidade do Algarve, parceira do programa. Margarida considerou interessante sistematizar um apoio que muitas farmácias já dão, de forma informal, aos utentes, criando evidência do valor deste serviço. «Pessoas que tomam muita medicação têm um risco maior de sofrer de problemas associados a má utilização e as farmácias podem ter um importante papel no aconselhamento e identificação de necessidades de intervenção médica ou não farmacológica», defende a professora.

Ricardo Valente, psicólogo da educação, e Débora Silva, técnica de psicologia, asseguram atendimentos psicossociais e apoiam os utentes na marcação de consultas e exames, ajudando-os a «navegar no sistema de Saúde, um dos objetivos do projeto», diz Ricardo Valente. A equipa também organiza sessões e workshops de nutrição, atividade física e aulas de ioga adaptadas e, todos os meses, decorrem “Sessões de Saúde em Dia”, abertas a toda a comunidade. Estas atividades de promoção da literacia em saúde são desenvolvidas em colaboração com parceiros locais, essenciais à operacionalização do projeto.

São já 46 os parceiros, desde entidades como o Centro Hospitalar Universitário do Algarve, o Agrupamento de Centros de Saúde do Algarve e a Universidade do Algarve, até câmaras municipais, juntas de freguesia e Instituições Particulares de Solidariedade Social na área social e da saúde. A cooperação estende-se aos municípios de Faro, São Brás de Alportel, Loulé, Tavira e, desde o início de março, a Silves. O próximo passo é alargar a Alcoutim e Castro Marim, os primeiros contactos já foram feitos. «Trabalhamos para otimizar as parcerias existentes e expandir o projeto a novas zonas geográficas, para alcançarmos mais utentes: 500 é o compromisso que assumimos com a Portugal Inovação social, queremos alcançar 700», explica Ricardo Valente.


O vereador Carlos Baía reúne com a equipa do projeto, Ricardo Valente e Débora Silva. O município de Faro é um parceiro antigo

O vereador Carlos Baía chega à loja soalheira onde funciona o Espaço Saúde em Diálogo – Faro, para uma reunião com Ricardo e Débora. É aqui a sede do Espaço Saúde 360° Algarve, que nasceu na capital algarvia em setembro de 2020 e tem a maioria dos utentes no concelho. O vereador responsável pelo pelouro da Ação Social conhece bem a equipa. O município é um dos principais parceiros do projeto e a relação com a Plataforma Saúde em Diálogo vem desde 2009. «Quando nos convidaram para aderirmos a esta iniciativa, que assenta muito na literacia em saúde, dissemos imediatamente que estávamos disponíveis», assegura.

O apoio em literacia em saúde complementa as respostas do município para a população idosa, como o Gabinete de Apoio ao Idoso. Outra vantagem é que, ao trabalhar diretamente com os mais velhos do concelho, a equipa identifica e encaminha utentes para as respostas camarárias. «São parceiros que nos permitem uma capilaridade para chegar a mais pessoas», diz o vereador. «Estamos satisfeitos e queremos manter esta parceria».