Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
2 junho 2022
Texto de Joana Rita Correia (nutricionista) Texto de Joana Rita Correia (nutricionista)

Horas sem comer

​​​​O jejum intermitente é um padrão alimentar que deve ser acompanhado por profissionais.​

Tags
Uma das modas recentes para emagrecer é o jejum intermitente, um padrão alimentar em que a ingestão de alimentos fica limitada a um período de tempo definido. Os modelos de jejum mais comuns são:

24 horas - Consiste em ficar um dia inteiro sem ingerir qualquer alimento. Pode ser feito duas ou três vezes por semana.

16h/8h - O mais popular entre os seguidores consiste num período de jejum de 16 horas, seguido de oito horas de alimentação. Neste tipo de jejum, opta-se por abolir o pequeno-almoço ou o jantar, consoante a preferência de quem o pratica.

12h/12h - É idêntico ao anterior, mas neste caso o jejum é por um período de 12 horas, a que se segue outro de 12 horas de alimentação. Acaba por ser relativamente mais fácil para iniciantes.
 
5h/2h - Pode comer normalmente durante cinco dias da semana e nos restantes dois dias reduz a quantidade de calorias para cerca de 500/600 Kcal por dia.

Nos dias de jejum só são permitidas bebidas isentas de calorias, como água, chás e café, sem adição de açúcar e sem adoçantes. Nos restantes dias, a alimentação faz-se normal- mente.

BENEFÍCIOS
  • Perda de peso/massa gorda, pela (possível) restrição calórica;
  • Maior sensibilidade à insulina, se associado a baixo consumo de açúcares na dieta,
  • durante o período de ingestão;
  • Regulação dos níveis de colesterol e triglicerídeos, se a alimentação realizada antes e após o jejum for pobre em açúcar e gordura, e rica em fibras;
  • Desintoxicação do organismo. Ficar sem comer por um curto período e beber bastante água, evitando no período de ingestão alimentos gordurosos e ricos em açúcar, diminui os níveis de açúcar e gordura no organismo. Contribui, ainda, para equilibrar a flora intestinal.

CONTRAINDICAÇÕES
Em caso de doença, ou para quem precise de tomar muitos medicamentos diariamente. O jejum está igualmente desaconselhado em crianças, mulheres grávidas ou durante a amamentação.
 
RECOMENDAÇÕES
O jejum, por si só, não traz os resultados pretendidos. Fora do período escolhido, deve:
  • Evitar alimentos ricos em gorduras ou açúcares, e comer alimentos de fácil digestão com baixo índice glicémico;
  • Privilegiar alimentos ricos em proteína (carnes magras, peixes, ovos e lacticínios magros);
  • Aumentar a ingestão de alimentos ricos em fibras, como vegetais, frutas frescas, frutos oleaginosos (nozes, amêndoas, avelãs) e cereais integrais.

O jejum intermitente não é uma dieta no verdadeiro sentido da palavra, uma vez que não indica o tipo de alimentos a ingerir, ou as quantidades, mas apenas os momentos de ingestão.

Nenhum modelo pressupõe uma restrição calórica, embora esse princípio esteja subjacente e possa justificar os eventuais benefícios deste padrão alimentar.

Caso queira optar por este tipo de padrão, deve procurar um nutricionista credenciado para o ajudar a escolher o modelo que mais se adequa, e garantir o aporte de todos os nutrientes de que necessita.
Notícias relacionadas