Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
21 agosto 2016
  Roteiro
Texto de Luísa Neves Fotografia de Júlio Pimentel Fotografia de Júlio Pimentel Texto de Luísa Neves
Pombal radical
​​​​“Um concelho do mar à serra” é o lema e a oferta aos turistas é variada. E que o enfermeiro Alexandre Frutuoso segue à risca, entre a paixão antiga do surf e a recente descoberta dos trails.​

Uma prancha que os pais lhe trouxeram do Brasil, quando tinha 14 anos, estimulou o gosto pelo surf. Hoje, aos 36 anos, “apanhar ondas” continua a ser uma paixão, apesar da preenchida agenda de Alexandre Frutuoso não permitir idas mais frequentes até à praia do Osso da Baleia, num dos extremos do concelho de Pombal.

O nosso dia começa lá, em pleno areal da Costa de Prata. As nuvens carregadas e o vento forte ameaçam chuva, mas isso não demove quem anseia por entrar no mar, sentir o seu poder e energia.

A praia possui um extenso areal e fora da época balnear é frequentada essencialmente por pescadores desportivos e adeptos de desportos  radicais. Nos dias mais quentes, enche-se de veraneantes que procuram desfrutar do seu estatuto de Praia Dourada com Bandeira Azul. Localizada em plena Mata Nacional do Urso, a Osso da Baleia também conquistou o galardão de Praia Acessível devido às infra-estruturas existentes para pessoas com mobilidade reduzida, incluindo cadeiras especiais para banhos de mar.​

pombalii.jpg
 

Conciliar a prática do desporto e o contacto com a natureza está patente em todo o concelho, a começar na praia – onde há uma ciclovia até à Nazaré. Foi lá, na Praia da Consolação, que Alexandre Frutuoso cresceu e aprendeu que o mar fazia parte da sua vida. “Não consigo estar muito tempo longe da prancha, sinto-me  incompleto”. O gosto pela prática desportiva levou-o a ponderar a possibilidade de tirar um curso superior nessa área, mas acabou por enveredar pela Enfermagem.

Actualmente admite que manter-se activo o ajuda a enfrentar os desafios da Enfermagem Pré-hospitalar(é especialista em Enfermagem Médico-Cirúrgica da ambulância de Suporte Intermédio de Vida, em Avelar): “O surf e a emergência têm aspectos em comum. Em ambos os casos temos que avaliar as condições de segurança, ser proactivos e prevenir o risco. Depois, há que ter persistência e resiliência”.

Os locais em que trabalhou foram sempre junto da costa, “por causa do surf”.

Um mouro lendário

Pombal é um concelho com 60 mil habitantes, sendo que 15 mil estão concentrados na cidade fundada no séc. XII pelo templário Gualdim Pais.

Chegados à vila de Pombal, é incontornável começar a visita pelo “castelo altaneiro”. Quem estiver em boa forma física pode fazer o percurso a pé, mas existe acesso rodoviário até ao parque de estacionamento. Dentro das muralhas é possível visitar o posto de informações e visionar dois filmes: um em 3D, dedicado à história do castelo e da cidade, e outro em animação, contando a lenda de Al-Pal-Omar, o mouro que, ao luar, seduzia as raparigas bonitas e prendadas de Pombal. Reza a história que, em retaliação, os templários fecharam Al-Pal-Omar no túnel que dava acesso ao palácio e por cima construíram o castelo.


pombal2.jpg
 

Surpresas citadinas

Descendo a encosta do castelo, espera-nos uma visita ao centro histórico. Começamos pela Praça Marquês de Pombal, com a Igreja Matriz de São Martinho, que se ergue no topo da praça. Foi aqui que, em 1323, D. Dinis e o filho D. Afonso formalizaram o pacto de paz, sob a égide da Rainha Santa Isabel.

À saída da igreja tem duas hipóteses: entra no edifício à esquerda – antiga prisão que hoje aloja o Museu Municipal Marquês de Pombal – ou opta pela direita, onde encontra um antigo celeiro que alberga o Museu de Arte Popular Portuguesa. 

Seguindo pelas ruas Miguel Bombarda e do Cais rapidamente chegamos ao Largo do Cardal. É aqui que se situam os Paços do Concelho, contíguos à Igreja do Cardal, edifício barroco do séc. XVII.

À noite a cidade transforma-se com  alguns espectáculos. O Café Concerto e o Teatro-Cine de Pombal apresentam com  alguma regularidade performances das mais variadas artes.

pombal.jpg
 

Explorar os tesouros serranos

No extremo Este da cidade o terreno começa a elevar-se, conduzindo à Serra de Sicó. É aqui que Alexandre Frutuoso gosta de participar em trails, uma actividade que o conquistou recentemente. 

Notícias relacionadas