Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
19 novembro 2016
Texto de Sónia Balasteiro Fotografia de Ricardo Meireles Fotografia de Ricardo Meireles Texto de Sónia Balasteiro
Conceição Sapateiro: «Natal é amor»

​​​​​​​​​​​Em Areias de São Vicente, vive a alegre Conceição Sapateiro, ceramista para quem o Natal é família e, claro, amor.

Na aldeia onde Cândido Macedo celebra o Natal, vive Conceição Sapateiro. Ao entrar, cumprimenta sua antiga doente e uma das mais conhecidas ceramistas do concelho de Barcelos, entusiasmado, explicando-lhe o motivo da visita: «Falar da sua arte e dos presépios».

É recebido pela artesã de 73 anos com um sorriso familiaridade dos velhos amigos – a cumplicidade entre ambos é evidente. Logo à entrada da loja onde Conceição e o marido, Vítor da Clara, recebem os clientes, na sua casa em Areias de São Vicente, Cândido Macedo repara no presépio tradicional da nossa infância, gerado segundo os manuais de história nos 40. 

«Ó Conceição, eu entrei e já estou aqui a ver o presépio da nossa meninice», aponta o cicerone, satisfeito, perguntando à ceramista como evoluiu desse tipo de presépios para os que cria actualmente, conhecidos pelas suas cores garridas, «as cores do Minho», como lembra Conceição. A resposta da ceramista, que veio de Galegos de Santa Maria para Areias, é simples: «Areias de São Vicente é a terra do vidrado». 

No espaço, há um galo de Barcelos a aquecer Jesus, uma peça em que um só corpo se abre em dois braços e três cabeças, de São José, Maria e Jesus, simbolizando a união e o amor da família.​

​​
Notícias relacionadas