Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar

Asma durante a gravidez

A asma é uma doença crónica em que as vias respiratórias, em especial os brônquios, ficam inflamadas e consequentemente mais estreitas, dificultando a respiração. Não tem cura, mas tem tratamento que, cumprido com rigor, permite na maioria dos casos o controlo da asma.

 

Mas e durante a gravidez? Será que a gravidez pode piorar a asma? A resposta é variável.

Se a asma está bem controlada, há pouco ou nenhum risco de complicações durante a gravidez. No entanto, a asma grave ou mal controlada durante a gravidez pode aumentar o risco de vários problemas, tais como:

  • Pré-eclâmpsia (um aumento da pressão arterial que ocorre durante a gravidez);
  • O feto pode não crescer tanto quanto o esperado;
  • Parto prematuro;
  • Um parto por cesariana;

Recomendações:

  • Não pare de tomar a medicação;
  • Cumpra a terapêutica habitual, a qual pode ter de ser revista pelo médico;
  • Cumpra as consultas pré-natais. Visite o seu médico regularmente durante a gravidez. Compartilhe qualquer dúvida ou preocupação que possa ter;
  • Não fume. Fumar pode piorar a asma e causar problemas de saúde para si e para o futuro bebé;
  • Evite a exposição a fatores que desencadeiam as crises asmáticas: ácaros domésticos, fungos, pólenes, animais de pelo, poluição atmosférica e o fumo do tabaco;
  • Reconheça sinais de aviso. Certifique-se que reconhece os primeiros sinais e sintomas de que a asma está a piorar: dificuldade em respirar, aperto no peito, tosse e pieira (gatinhos ou chiadeira).

Em caso de dúvida, a sua farmácia ajuda-a a conhecer melhor a doença, os fatores que a desencadeiam e os medicamentos receitados pelo médico. Informe-se com o seu farmacêutico!