Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar

Hidratos de Carbono – Sim ou… sim?

Os hidratos de carbono (HC), também conhecidos como glícidos ou glúcidos, são frequentemente associados a questões de saúde, como o excesso de peso. Mas será que são mesmo prejudiciais? Devemos mesmo eliminá-los da alimentação?

 

As respostas, por norma, são Não e… Não. Os HC, se bem escolhidos e ingeridos no momento e na quantidade certa, são essenciais para uma alimentação equilibrada e para o bom funcionamento do organismo.

Os HC são nutrientes (tal como as proteínas e os lípidos ou gorduras), isto é, elementos (moléculas) presentes nos alimentos e que possuem funções específicas no organismo. Fornecem energia às células do corpo, sendo, por isso, tão importantes. Mas nem todos são iguais. Dividem-se em dois grandes grupos:

  • HC simples: estão naturalmente presentes em alimentos como a fruta (frutose) e o leite (lactose), mas também estão presentes no açúcar comum (sacarose), por vezes adicionados a produtos de confeitaria e pastelaria, como bolos e rebuçados;
  • HC complexos: são exemplos de HC complexos os cereais e os seus derivados (como a massa e o pão), os tubérculos (como a batata) e as leguminosas secas (como o feijão). São digeridos e absorvidos lentamente pelo organismo, oferecendo uma sensação de saciedade mais duradoura.

Dito isto, devemos ingerir, indiferenciadamente, qualquer HC, em qualquer momento do dia? Não. Algumas regras de ouro:

  • Pelo menos, 50% da energia diária deve ser obtida através de HC. Destes, no mínimo, 90% devem ser HC complexos;
  • As necessidades energéticas são grandes ao acordar, devido ao jejum noturno, pelo que o pequeno-almoço, por norma, deve conter HC (complexos, como referido). Ao longo do dia, estes devem ser distribuídos de forma moderada pelas restantes refeições, devendo privilegiar-se a sua ingestão antes de períodos de maior gasto de energia;
  • Embora o consumo de HC simples deva ser regrado, isto não significa que se deve excluir da dieta os alimentos que os contenham naturalmente, como a fruta e o leite, naturalmente ricos em mais nutrientes, como vitaminas e minerais. Dentro dos HC simples importa, sim, moderar o consumo de alimentos aos quais estes tenham sido adicionados, como bolos e refrigerantes.

Por fim, é importante reter que, na alimentação, cada caso é um caso. Assim, se tiver dúvidas sobre estas questões, aconselhe-se com um profissional de saúde, como o seu Nutricionista, Médico ou Farmacêutico.