Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar

ALA, EPA e DHA? Sabe do que falamos?

Já ouviu, certamente, falar de ácidos gordos ómega 3, também conhecidos por “gorduras boas”. Mas, conhece as funções essenciais que desempenham no nosso organismo?

 

Os ácidos gordos ómega 3 são ácidos gordos polinsaturados essenciais ao organismo, no entanto, não os conseguimos produzir pelo que, têm de ser obtidos, exclusivamente, a partir da nossa alimentação.

Existem 3 tipos de ácidos gordos ómega 3:

  • Ácido alfa linolénico (ALA);
  • Ácido eicosapentaenoico (EPA);
  • Ácido docosaexaenoico (DHA).

O ALA está presente em alimentos de origem vegetal (óleo de linhaça, sementes de chia…), enquanto que o EPA e DHA podem ser encontrados no pescado e óleos de peixe.

 

Quais os benefícios dos ácidos gordos ómega 3?

  • Favorecem o bom funcionamento e proteção do sistema cardiovascular: diminuem o risco de doenças cardiovasculares, através da redução de fatores de risco (ocorre a redução da pressão arterial, frequência cardíaca e valores de triglicéridos; e ainda, um aumento do colesterol das HDL – bom colesterol) e atenuação da inflamação (que está na base da aterosclerose e doenças cardiovasculares);
  • Apoiam o bom funcionamento do sistema nervoso;
  • Melhoram a capacidade de aprendizagem, desempenho intelectual e clareza visual.

 

Onde pode encontrar ácidos gordos de ómega 3 na sua alimentação?

  • Peixes (atum, salmão, arenque, sardinha, sarda, cavala…), óleos de peixes (óleo de fígado de bacalhau…), mariscos (camarão…) e algas;
  • Óleos Vegetais, como o óleo de canola e linhaça;
  • Nozes e sementes de chia/linhaça;
  • Hortícolas de cor escura, como os espinafres, brócolos e beldroegas.

 

Outras fontes…

Quando não é possível satisfazer as necessidades de ácidos gordos ómega 3 através da alimentação, é possível recorrer ao uso de suplementos alimentares. Nestes casos, deve sempre recorrer ao seu médico, nutricionista ou farmacêutico, para evitar uma suplementação inadequada ou desnecessária. Isto porque, o excesso de ácidos gordos ómega 3 pode levar a implicações graves a nível da sua saúde (como por exemplo, alterações na coagulação que aumentam a probabilidade de hemorragias).

Agora já sabe, garanta a inclusão de alimentos ricos em ómegas-3 na sua alimentação, usufruindo dos seus benefícios.