Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar

Candidíase Vaginal – Como prevenir e tratar

O tratamento da candidíase vaginal é recomendado a mulheres e parceiros que também tenham sintomas e é feito com medicamentos antifúngicos, disponíveis na farmácia, sob a forma de creme, comprimido vaginal, óvulo ou por via oral. Os cremes, aplicados externamente, ajudam a acalmar sintomas como, por exemplo, a comichão.

 

Esta não é uma infeção sexualmente transmissível. No entanto, importa referir que alguns tratamentos da candidíase (nomeadamente de aplicação local) podem diminuir a eficácia dos preservativos, pelo que, é aconselhado um método contracetivo adicional.

Se sofre de candidíase recorrente (ou seja, se tem vários episódios desta infeção por ano), há algumas medidas que podem ajudar a prevenir o seu reaparecimento:

  • Evite usar desodorizantes e produtos perfumados na região íntima e em torno da mesma;
  • Mude com frequência os tampões ou pensos higiénicos;
  • Lave-se e limpe-se sempre na direção da vagina para o ânus;
  • Opte por roupa interior de algodão e evite roupas de tecidos sintéticos e apertadas;
  • Mude de roupa interior depois de nadar ou fazer exercício físico;
  • Evite banhos muito quentes;
  • Não faça duches vaginais, a não ser em situações em que o médico o indique;
  • Faça, no máximo, uma a três lavagens íntimas por dia com água e com produtos adequados (pH entre 4.2 a 5.6 e hipoalergénico), para não provocar secura excessiva;
  • Evite alimentos com elevado teor de açúcar pois o açúcar fornece “alimento” para os fungos se multiplicarem;
  • Evite o stress e mantenha um estilo de vida saudável, pois tal ajuda a manter o seu sistema imunitário forte;
  • O látex, presente nos preservativos, o uso de diafragma e alguns espermicidas podem ser irritantes da mucosa vaginal, deixando-a mais suscetível a infeções. Fale com o seu médico e veja qual a melhor solução para si.

Não se esqueça: existem outras infeções vaginais, além da candidíase, e que devem ser despistadas. Se acha que pode ter candidíase vaginal, consulte um profissional de saúde. Adicionalmente deve consultar, sempre, o médico no caso de estar grávida, se tiver uma nova infeção no espaço de 2 meses, se não houver melhoria ao terceiro dia de tratamento ou caso os sintomas se prolonguem por mais de 7 dias.