Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar

O que é a valeriana e para que serve?

Valeriana officinalis é uma planta, vulgarmente conhecida como valeriana. Tradicionalmente, as raízes da valeriana são preparadas para infusão ou incluídas na alimentação, com a finalidade de aliviar os sintomas ligeiros do stress quotidiano ou para ajudar a dormir melhor.

 

Diversos ensaios clínicos atestam que a valeriana é uma opção para a sua saúde mental, uma vez que ajuda a manter a qualidade do sono, contribui para o relaxamento e, em caso de irritabilidade, ajuda a manter a calma nas situações de stress a que o estilo de vida atual nos habituou. A valeriana também é usada na saúde cardiovascular, melhorando a função cardíaca e normalizando a pressão sanguínea, embora não hajam evidências científicas para determinar a sua eficácia, neste âmbito.

Ainda que não esteja definida a dose mais eficaz para a ação da valeriana ou a duração da ação de uma determinada dose, os efeitos benéficos da valeriana parecem ser maiores depois de uma toma regular por duas ou mais semanas.

Apesar da a valeriana ser razoavelmente segura, não deve ser usada por grávidas e mulheres a amamentar, nem por crianças até aos 12 anos de idade. Podem surgir alguns efeitos indesejáveis decorrentes da sua toma, nomeadamente, dor de cabeça, desconforto gastrintestinal (náuseas, diarreia) e tonturas. Por causar sonolência, esta planta deve ser tomada ao deitar, mas caso não seja, deve evitar conduzir ou realizar qualquer atividade que exija os reflexos em alerta.

A valeriana pode prolongar o efeito de outros sedativos (medicamentos para ajudar a dormir), quando tomados em conjunto. Por esse motivo, caso tenha problemas de sono e pretenda começar a tomar um suplemento alimentar com valeriana, é importante que consulte o seu médico ou farmacêutico, para evitar qualquer complicação decorrente da toma.

Por outro lado, caso a insónia persista, esta pode não passar apenas por hábitos de sono menos corretos, e estar relacionado com outras questões que convenha determinar. Nestes casos, fale com o seu médico sobre as possíveis causas da insónia, para que avalie qual a melhor estratégia de tratamento para o seu caso.