Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar

Vitaminas C, A, D, e E – Considerações gerais

As vitaminas são substâncias orgânicas necessárias, em pequenas quantidades, em processos metabólicos fundamentais para o normal funcionamento do organismo. Em condições normais, o seu aporte faz-se através da ingestão de alimentos.

 

A vitamina C, também conhecida por ácido ascórbico, é talvez a mais comum, principalmente durante a época das gripes e constipações, pelas suas propriedades de reforço do sistema imunitário.

É importante para a formação de colagénio, que dá firmeza e elasticidade aos tecidos como a pele, os músculos, as paredes das artérias e veias, assim como resistência aos ossos e aos dentes. Quando aplicada na pele, a vitamina C tem uma ação antioxidante, protetora e aclaradora, estando, por isso, presente em inúmeras formulações de cosméticos antienvelhecimento.

Pessoas com problemas gastrintestinais e alguns tipos de cancro, podem apresentar deficiência de vitamina C no organismo, podendo beneficiar da suplementação oral.

– A vitamina A, é outra vitamina bastante conhecida, pelo papel importante que desempenha na visão. É também essencial para o desenvolvimento adequado dos ossos, do sistema imunológico e reprodutivo. Tal como a vitamina C, esta vitamina é também frequentemente utilizada em produtos para aplicação tópica (na forma de retinoide), para melhorar a suavidade, rugosidade e pigmentação da pele.

– A vitamina D, também conhecida como calciferol, é uma substância cuja principal ação se dá no controlo dos níveis de cálcio no sangue e na saúde dos ossos. O calciferol possui uma particularidade em relação às outras vitaminas: além de ser adquirida através dos alimentos, também pode ser produzida pelo nosso organismo, através da exposição solar. Portanto, enquanto todas as outras vitaminas só podem provir da alimentação, uma adequada exposição à luz do sol (15 minutos diários de exposição do rosto, braços e/ou pernas), e sem proteção solar, consegue fornecer quantidades suficientes de vitamina D ao nosso organismo.

– A vitamina E, tal como a vitamina C, tem propriedades antioxidantes, que protegem as células contra os efeitos nocivos dos radicais livres – moléculas produzidas no nosso organismo em situações de stress, como por exemplo, exposição ao tabaco ou radiação solar.

As vitaminas A, D, e E são vitaminas lipossolúveis, ou seja, são absorvidas dissolvidas na gordura. Em caso de transtornos de mal absorção de gordura no trato gastrintestinal podem ocorrer défices destas vitaminas. Nestas situações, a suplementação pode ser uma mais-valia.

Lembre-se, para que o seu organismo funcione bem, é fundamental que tenha uma dieta equilibrada para obter as necessidades adequadas, destas e de outras vitaminas. Em caso de necessidade, pode recorrer à suplementação, mas só depois de se aconselhar com o seu farmacêutico.