Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar

De volta à mesa da avó: boas práticas para uma alimentação saudável

Prevenir a obesidade infantil é um desafio de todos os dias, que passa por recuperar os bons hábitos alimentares dos nossos avós, aliados à prática de atividade física. Entretanto, a sua Farmácia pode dar uma ajuda.

 

Alimentação desiquilibrada aliada a sedentarismo é uma combinação nada recomendável.

Portugal está no topo dos países europeus onde a obesidade infantil é mais relevante.

Na origem do problema estão identificadas duas causas principais: novos hábitos alimentares que se afastam claramente da tradicional dieta mediterrânica, traduzidos em menos sopa, menos frutos, menos verdes e menos cereais completos. Por oposição, a alimentação das nossas crianças regista hoje maior consumo de alimentos com elevado teor calórico e baixo valor nutricional.

A tudo isto acresce outra questão não menos preocupante – o sedentarismo. Portugal é o país da União Europeia com mais baixo índice de atividade física. E, dizem os estudos, filhos de pais fisicamente pouco ativos são propensos a replicar esse mesmo comportamento.

São, por isso, recomendáveis:

  • Alimentação completa, variada e equilibrada;

  • Atividade física diária.

Tudo isto tendo presente a importância de se retomarem os bons hábitos alimentares dos avós e a definição das refeições segundo o modelo tradicional (da fixação dos horários à manutenção dos lugares à mesa e às 5-6 refeições por dia, sem saltar nenhuma), sem esquecer o papel chave da Escola na educação para a saúde, através da partilha de boas práticas e bons exemplos.

Para saber mais leia também Alimentação infantil: apetitosamente saudável, equilibrada e variada.

Para mais orientações, peça conselho ao seu farmacêutico!