Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar

Caspa: não é contagiosa, mas pode ser contolada

Fonte de embaraço e desconforto, a caspa não é contagiosa e pode ser controlada.

 

As causas da caspa diferem de pessoa para pessoa. Difícil de precisar com exatidão, a sua origem surge associada a situações distintas como: o estilo de vida, stress, desequilíbrios hormonais ou renovação celular.

Como um intruso, a caspa instala-se e é capaz de deixar qualquer um com a cabeça em água… felizmente, há soluções.

Os dois tipos de caspa:                                                    

  • Oleosa: é causada por um fenómeno inflamatório devido ao excesso de oleosidade quando está presente em quantidade aumentada um fungo da família Malassezia. Este desequilíbrio pode ser originado por variações hormonais ou stress. Manifesta-se através de vermelhidão e comichão intensa no couro cabeludo, com escamas oleosas e amareladas que aderem ao cabelo e couro cabeludo;
  • Seca: em algumas pessoas é semelhante à caspa oleosa, embora assuma uma forma mais suave, noutras é o resultado de uma simples descamação do couro cabeludo. A manifestação mais comum traduz-se em comichão e partículas secas, muito finas e brancas que se vão vão libertando, sem aderir aos cabelos.

A caspa oleosa está muitas vezes relacionada com o stress e as variações hormonais, já a caspa seca parece ter uma relação direta com a renovação mais rápida das células do couro cabeludo, uma alimentação pobre em minerais como o zinco, vitaminas do complexo B e certas gorduras, e ainda o uso de produtos agressivos e até a utilização excessiva do secador.

Tanto para a questão da caspa como, genericamente, para a saúde dos seus cabelos e do couro cabeludo, saiba que pode contar com o aconselhamento da sua Farmácia.