Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar

Peso certo, de pequenino

Más opções alimentares e um estilo de vida cada vez mais sedentário estão na origem do crescimento galopante da obesidade infantil, uma situação que é importante reverter.

 

Em Portugal, estudos científicos sobre a obesidade infantil demonstraram que, cerca de 25,6% das crianças com idade compreendida entre os 5 e os 9 anos, apresentam pré-obesidade, e cerca de 12,5% são obesas.

Outros estudos demonstraram que cerca de 23,6% das crianças com idade entre os 10 e 17 anos apresentam excesso de peso e cerca de 8,7% são obesas. Não é de estranhar, por isso, que a obesidade infantil seja um dos desafios mais sérios de saúde pública no século XXI.

Como as crianças obesas têm maior probabilidade de desenvolverem diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares precocemente, a aposta na prevenção deste problema deve tornar-se uma prioridade. E deve começar em casa!

Alguns comportamentos originam situações de excesso de peso ou até mesmo obesidade, com os demais problemas de saúde que lhe estão associados.

Por isso:

  • Evite que o seu filho faça refeições fora de horas, os chamados “snacks” entre as refeições;
  • Desincentive o consumo de alimentos pré-confecionados ou fast-food, os quais geralmente apresentam elevado teor calórico, são ricos em gordura ou açúcar e pobres em nutrientes;
  • Evite que o seu filho ingira quantidades inadequadas de comida. O tamanho das porções deve ser adequado às necessidades alimentares da criança.

 

Os pais e educadores devem promover desde muito cedo a adoção de padrões alimentares saudáveis.  Por isso, encoraje-os a:

  • Praticar uma alimentação completa e equilibrada, ingerindo frutas, vegetais e leguminosas;
  • Ter refeições à mesa, em família. As refeições familiares representam o momento ideal para as crianças observarem o comportamento alimentar dos pais. Segundo estudos, as refeições em família influenciam positivamente os hábitos alimentares das crianças;
  • Tomar o pequeno-almoço, todos os dias, antes de sair de casa;
  • Praticar atividade física regularmente, optando por uma modalidade do gosto da criança;
  • Manter um equilíbrio. Cada vez mais as crianças vão de carro para a escola, veem mais televisão e jogam mais consola. Estes comportamentos devem ser adotados de forma equilibrada, devendo ser alternados com passeios a pé e brincadeiras ao ar livre.

Lembra-se, a melhor forma incentivar o seu filho é através do exemplo. Até porque desta forma toda a família sai a ganhar!