Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar

Suar as estopinhas

Com o tempo mais quente surge a transpiração que, para alguns, pode ser excessiva. Saiba como controlar este problema

 

A par do calor, a transpiração pode ter origem noutros estímulos, entre os quais o stress ou as emoções fortes. Assim que se verifica uma dessas situações, as axilas, as palmas das mãos e os pés são habitualmente os primeiros a dar o sinal. O suor compõe-se fundamentalmente de água, sais minerais, algumas substâncias orgânicas e produtos de metabolismo e, como é sabido, suar é importante para controlar a temperatura do corpo. O problema é quando a transpiração é excessiva.

As pessoas emitem quantidades diárias de suor diferentes mas a média ronda os 100 mL, exceção feita àquelas que sofrem de hiperidrose, uma anomalia do sistema nervoso simpático que pode levar a produzir, em casos graves, até cerca de dois litros de suor por hora. Como facilmente se compreende, esta doença  tem consequências negativas a nível emocional e social. E se é certo que uma higiene rigorosa atenua o problema, a verdade é que não o resolve. Os endocrinologistas podem recomendar tratamentos dermatológicos específicos, destinados a controlar a sudação excessiva, mas não existe nenhum medicamento que atue diretamente sobre esta doença. No entanto, dependendo dos casos, já é possível tratar a hiperidrose cirurgicamente, após diagnóstico médico, e com elevada taxa de sucesso.

Mas mesmo quem não sofre de hiperidrose deve ter uma rotina diária de higiene no que diz respeito ao suor. São gestos simples que ajudam a minimizar os níveis de transpiração:

  • Tome um banho diário com água morna, uma vez que tanto a água fria como a quente favorecem a transpiração.
  • Preocupe-se com o que veste: opte por roupa arejada e de algodão, evitando as fibras sintéticas que são menos permeáveis e não deixam respirar a pele.
  • Se é daqueles que transpiram com abundância, tenha sempre roupa disponível para se mudar, principalmente roupa interior e meias.
  • Aquilo que come também é importante: opte por legumes, verduras e fruta e evite as gorduras e doces.
  • Uma vez que o corpo perde muitos líquidos, terá de beber mais água do que o habitualmente recomendado.
  • Tente reduzir o stress, a tensão e a ansiedade, na medida do possível.

 

Transpiração e desodorizantes

O uso de desodorizantes é indispensável, de acordo com a intensidade da transpiração. À base de agentes bactericidas e, frequentemente, sais de alumínio, este produto é eficaz na diminuição do cheiro da transpiração. Além da própria formulação proporcionar um aroma agradável, também reduz o número de bactérias que degradam as substâncias libertadas através do suor (são os produtos desta degradação que causam o mau odor) – desta forma o aroma agradável prolonga-se por várias horas.  Nos casos de transpiração mais intensa, aconselha-se os antitranspirantes, que controlam a saída do suor, normalmente durante 24 horas.