Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar

Acne – Quase só para Adolescentes

Quando um adolescente se olha ao espelho é comum ver um rosto pontuado por borbulhas mais ou menos acentuadas: é a acne, doença da pele caracterizada pela obstrução dos poros por gordura.

Também pode manifestar-se em adultos, mas predomina na adolescência devido às mudanças hormonais mais acentuadas neste período da vida.

A acne surge porque as glândulas sebáceas são estimuladas, produzindo mais sebo (gordura natural da pele), o que, associado a uma deficiente eliminação das células mortas e à presença de bactérias, contribui para inflamar, ou mesmo infetar, os folículos pilosos. Estes ficam obstruídos e dão origem aos diferentes sinais da acne: os comedões (os “famosos” pontos brancos ou negros), típicos das situações mais ligeiras, e as pústulas, nódulos e quistos, próprios de casos mais graves.

É no rosto que se evidenciam mais, mas o pescoço, o peito, os ombros e as costas também podem ser atingidos. Sobretudo os masculinos, uma vez que nos rapazes há uma maior produção de sebo.

Mas as raparigas também sofrem, por via das hormonas que tornam a acne mais intensa por altura do período menstrual (o mesmo pode ocorrer mais tarde na gravidez). São sintomas que perduram, num ciclo que pode ser muito desgastante: é que quando umas lesões começam a sarar há logo outras que irrompem, parecendo que a acne não vai desaparecer.

Durante muito tempo, a imagem exterior de rapazes e raparigas é marcada por estas marcas, o que pode afetar a autoestima. Enquanto se espera e desespera as tentações são muitas e a mais errada de todas é espremer borbulhas e pontos negros. Há que ser persistente nos cuidados, para manter a acne sob controlo.

Antes de mais, é importante escolher produtos adequados e que controlem a oleosidade da pele. Diariamente, deve lavar-se a área afetada com um produto de limpeza suave adequado, que remova a gordura e ajude a desobstruir os poros. Mas sem esfregar excessivamente. Este é um gesto a repetir não mais do que duas vezes ao dia, pois os excessos de lavagens podem irritar  a pele.

Os rapazes devem ter uma atenção particular com o barbear, usando a lâmina ou a máquina com suavidade e tendo o cuidado de não agredir ainda mais a pele. Quanto às raparigas, devem escolher maquilhagem sem óleo – “oil free” -, preferindo as fórmulas em pó aos cremes. À noite, não devem esquecer-se de retirar a maquilhagem, deixando a pele ”respirar”.

Para proteger a pele do rosto, deve também evitar-se tocá-la com as mãos ou objetos, bem como manter os cabelos limpos e afastados. Se a acne se concentrar no tronco, é útil usar roupas ligeiramente soltas, de modo a prevenir a transpiração.

Para a maioria dos adolescentes, a acne é um incómodo, mas não coloca problemas de maior gravidade. Contudo, há situações em que os sintomas se agravam e as “borbulhas” dão lugar a lesões mais difíceis de sarar, como os nódulos ou quistos. Pode então ser necessário recorrer à intervenção mais especializada de um dermatologista ou a medicamentos (de aplicação local ou toma oral). Mas, para que isso não aconteça, o melhor é prevenir. E em primeiro lugar deve estar a limpeza da pele: com produtos suaves, insistindo nas zonas mais oleosas (zona T: testa, nariz e queixo) de modo a remover o excesso de sebo e as células cutâneas mortas. Todos os produtos – da higiene aos cosméticos, passando pelo protetor solar – devem ser “sem óleo”: convém ler os rótulos para fazer a escolha certa.

A suavidade dos cuidados é a palavra de ordem. Mas se uma borbulha espreitar há que manter as mãos à distância: espremer acaba por deixar marcas que demoram mais tempo a sair do que a acne…

Na farmácia encontra produtos destinados ao cuidado e tratamento da acne. Em situações ligeiras, pode aconselhar-se com o seu farmacêutico sobre os produtos mais aconselhados para a limpeza, hidratação e tratamento da pele. Em situações de maior gravidade, o médico deve então prescrever o tratamento indicado, podendo ser necessária a toma de medicamentos. Em todos os casos, o farmacêutico encontra-se apto para o informar sobre os cuidados a ter com a acne e como proceder de forma correta com o tratamento.