Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar

Piolhos – Em 4 passos

Tempo de aulas é, muitas vezes, sinónimo de pediculose - é que as infestações por piolhos são comuns quando há muitas crianças juntas: a proximidade física facilita o contágio.

 

A comichão é o sinal mais evidente de que estes minúsculos parasitas já se instalaram: eles fixam-se junto do couro cabeludo, sugando pequenas quantidades de sangue e libertando uma espécie de saliva que incomoda e muito…

 

1 – Começa a Infestação

Um piolho deposita oito a doze ovos por dia – são as conhecidas lêndeas. E ao fim de sete a dez dias nascem novos piolhos. E não importa se a cabeça é de um adulto ou de uma criança, se os cabelos estão limpos ou não…

O que importa é que se espalham rapidamente: eles não saltam nem voam, mas viajam à boleia do contacto direto entre cabelos ou da partilha de bonés, gorros, pentes e escovas, fitas e ganchos, almofadas.

 

2 – Será? Não será?

E quando surge a suspeita, há que confirmar: os piolhos são visíveis, quase sempre na nuca e atrás das orelhas. Para facilitar pode lavar-se o cabelo com amaciador e passar madeixa a madeixa com um pente fino, romvendo assim alguns piolhos e confirmando a infestação.

 

3 – Tempo de Agir

Depois, há que agir. É possível removê-los com a ajuda de um pente próprio, muita paciência e com recurso a produtos antiparasitários: na sua farmácia encontra champôs, cremes, soluções, géis e loções para lavagem dos cabelos. Não requerem receita médica, mas não dispensam o aconselhamento farmacêutico.

É preciso usá-los corretamente, respeitando sobretudo o intervalo entre aplicações: o uso em excesso é prejudicial. E é preciso não esquecer que estes produtos específicos se aplicam apenas em caso de infestação: para tratar, não para prevenir. Para o efeito peça ajuda ao seu farmacêutico. Já existem produtos no mercado destinados especificamente a este fim: a prevenir uma infestação.

 

4 – Prevenir Reinfestações

Mas a prevenção é possível: evitando o contacto direto com cabelos infestados, lavando vestuário e roupa de cama, escovas, pentes e outros acessórios em água bem quente. Por fim, nunca é demais aconselhar as crianças a não partilhar os objetos que tocam no cabelo.