Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar

O biberão do meu bebé

A partir de uma determinada idade do bebé, o biberão torna-se um bom aliado, quer seja utilizado para colocar leite materno extraído (quando, por exemplo, a mãe tem de regressar ao trabalho) ou para dar ao bebé leite ou fórmula.

 

A diversidade é grande e como consequência a escolha pode ser difícil. Então, o que deverá ter em consideração quando escolher um biberão para o seu bebé?

– existem biberões de vidro e plástico:

  • os de vidro têm maior durabilidade, mas podem partir-se;
  • os de plástico são mais resistentes à quebra, mas deterioram-se mais rapidamente;

– os tamanhos são variados e normalmente as capacidades vão dos 50 aos 360 mL:

  • inicialmente os biberões com menor capacidade (50/120 mL) são suficientes para o leite ou fórmula e, posteriormente podem ser utilizados para dar água ao bebé;
  • quando o bebé for mais crescido, serão necessários biberões com uma capacidade maior (240 a 360 mL);

– os biberões têm diversas formas e características:

  • devem ter um tamanho e forma adequado ao esterilizador de biberões;
  • existem biberões com pegas, sem pegas e com pegas destacáveis; aqueles que têm pegas incorporadas podem ser mais difíceis de limpar;
  • alguns podem apresentar um bucal mais largo ou uma base destacável que podem facilitar a limpeza;

Na escolha da tetina mais adequada, devem ser tidos em consideração alguns fatores:

– se possível, evite misturar biberões e tetinas de marcas diferentes para evitar problemas de compatibilidade;

– tenha atenção ao tamanho e velocidade de fluxo, que deve ser adequado à idade do bebé e características do leite:

  • tetinas com um só furo, apresentam um fluxo lento e, por norma, são adequadas para bebés recém-nascidos;
  • tetinas com 2, 3 ou 4 furos, correspondem, respetivamente, a fluxo lento, médio e rápido;
  • tetinas com diferentes fluxos (com cortes transversais) poderão ser necessárias se espessar o leite ou misturar papa;

Faça o teste: Inverta o biberão – se caírem algumas gotas, o fluxo está adequado; se escorrer em fio é demasiado e o bebé poderá engasgar-se. No entanto, se o fluxo for muito lento o bebé pode cansar-se mais rápido e mamar menos.

– existem, ainda, tetinas de vários materiais:

  • látex, que são mais suaves e flexíveis;
  • silicone, mais resistentes, sem cheiro, nem gosto;

É fundamental que estes acessórios sejam substituídos logo que apresentem os primeiros sinais de deterioração. As tetinas devem ser substituídas quando a borracha começa a ficar esbranquiçada ou pegajosa (mais ou menos e pelo menos a cada 2 meses). No caso dos biberões de plástico, os mesmos devem ser substituídos quando começam a ficar baços e com a graduação pouco visível.