Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar

Diabetes: Se não tratar de si, quem tratará?

Uma das medidas de maior importância para a monitorização da diabetes e do próprio tratamento é o autocontrolo. Leia este artigo e aprenda a cuidar de si.

O autocontrolo é a capacidade individual de participar ativamente na gestão da doença, juntamente com a equipa de apoio (profissionais de saúde). É essencial não esquecer que a determinação da glicemia pode não ser suficiente – é necessário estar atento, e quando necessário, fazer o registo dos valores e analisar a variação dos mesmos. Caso contrário, não é possível avaliar a evolução da doença e a eficácia da terapêutica.

A glicemia (quantidade de açúcar no sangue) varia consoante a hora do dia, a alimentação, o exercício, o stress e a dose de insulina administrada, pelo que, em alguns casos, pode ser preciso efetuar este controlo várias vezes ao dia. Habitualmente, é efetuado antes e duas horas após as principais refeições; antes, durante e após exercício físico intenso e na presença de sinais de hiperglicemia ou hipoglicemia.

O teste é feito através de uma ligeira picada no dedo, a qual permite obter uma gota de sangue para doseamento da glicose. Como tal, para garantir um resultado fiável e para evitar cortes ou contágio de outras doenças, é crucial saber como proceder:

  1. Antes de começar o teste, é necessário lavar as mãos com água e sabão, secando-as de seguida (não utilizar álcool);
  2. Para realizar a picada, utilize uma lanceta ou uma caneta de punção capilar;
  3. Para obter uma boa gota de sangue, é preferível picar a face lateral do dedo anelar e espremer suavemente.

Dentro dos cuidados a ter no autocontrolo destacam-se os cuidados com as canetas de punção capilar e lancetas, os cuidados a ter com o glicómetro e os cuidados a ter com as tiras de glicemia.

Canetas de punção capilar e lancetas

  • É necessário regular a profundidade da picada na caneta de punção capilar, de acordo com as características da pele (mais ou menos espessa);
  • A caneta de punção capilar deve ser de uso individual pelo risco de contaminação, mesmo quando a lanceta é trocada;
  • A lanceta nunca deve ser reutilizada;
  • Após cada utilização, descartar a lanceta num recipiente apropriado, evitando a picada acidental.

Glicómetro

  • Ao colocar a tira no glicómetro, verificar se o aparelho se encontra funcional;
  • Colocar uma boa gota de sangue na tira de glicemia – como o aparelho tem uma margem de erro de 10%, uma gota demasiado pequena dará uma leitura falsamente baixa;
  • É importante reter que o valor da glicemia difere ligeiramente se avaliado com glicómetros diferentes, pelo que a medição deve, preferencialmente, ser feita sempre com o mesmo aparelho;
  • Os glicómetros funcionam, geralmente, com pilhas, surgindo um alerta no visor quando estas estão fracas, altura em que devem ser substituídas.

Tiras de glicemia

  • Cada tipo de glicómetro tem tiras de glicemia adequadas e não podem ser usadas em glicómetros de marcas e modelos diferentes. Algumas marcas de tiras de glicemia têm um código próprio pelo que, sempre que se usar uma nova embalagem, é necessário programar o código do glicómetro ao da tira;
  • As tiras devem permanecer dentro do respetivo invólucro ou caixa e as embalagens de reserva devem ser guardadas em local seco e fresco;
  • Devem, ainda, ser manuseadas com as mãos limpas, tocando o mínimo possível nas mesmas.

Ao seguir todos estes passos, está a garantir a segurança e eficácia no autocontrolo e, deste modo, a contribuir para a sua saúde. Não se descuide: a sua saúde começa por si.

Se tiver dúvidas no manuseamento dos aparelhos ou na análise dos valores obtidos, consulte o seu médico ou farmacêutico.