Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar

Animais de Companhia – Pulgas à distância

Na maior parte das vezes, onde há um cão ou um gato, pode haver pulgas. São o parasita externo mais comum nos animais de estimação. Agarram-se à pele e sobrevivem alimentando-se do sangue do animal.

 

Cada pulga fêmea pode colocar várias centenas de ovos, os quais, num curto espaço de tempo – 21 dias – atingem o estado adulto. Esta deposição pode ocorrer, não apenas no animal, mas no ambiente envolvente. É por isso que o risco de infestação para o dono é elevado. Os ovos penetram profundamente nas fibras das carpetes e nas frestas do chão. No exterior, os ovos das pulgas fixam-se no solo.

 

No animal, a pulga pode ter consequências:

  • A picada pode causar dermatite alérgica, uma reação à “saliva” do parasita;
  • Podem ser ingeridas quando o animal se coça e transportar para o intestino outros parasitas.

É por isso, fundamental prevenir e combater um infestação de pulgas, adotando alguns cuidados com o ambiente e com o animal.

Por uma questão de saúde, não só do animal, mas também de quem o rodeia, é fundamental prevenir e combater a infestação por pulgas, o que passa por cuidados como animal e como ambiente.

 

A desparasitação externa do animal deve:

– Iniciar-se entre as seis e as oito semanas de vida;

– Realizar-se ao longo de todo o ano e não apenas na primavera e verão;

– Recorrer a produtos com ação desparasitante, disponíveis na farmácia, como coleiras, champôs, pós, sprays, solução para banho ou para unção localizada (spot-on) adequados a cada animal (idade, peso, raça).

 

A desinfestação do ambiente requer:

– Aspirar os espaços mais frequentados pelo animal;

– Lavar a cama do animal com água bem quente e um pouco de detergente ou lixívia;

– Aplicar um desparasitante adequado (pó ou spray) tendo especial atenção aos locais menos acessíveis ao aspirador, como os rodapés ou atrás dos móveis e eletrodomésticos;

– Renovar regularmente o caixote de areia, no caso do gato, e remover dejetos do quintal ou outros espaços que o animal frequenta;

– Usar sempre luvas na limpeza do “habitat” do animal;

– Lavar as mãos após o contacto com o animal.