Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar

Diabetes: 11 conselhos para uma alimentação adequada

Acha que a alimentação de um diabético é um bicho de sete cabeças? Aceite estes conselhos e veja o quão fácil é seguir um regime apropriado.

 

A alimentação, tão importante para a qualidade de vida do doente, é talvez o fator mais simples de ser melhorado. Neste artigo sugerimos pequenos truques, fáceis de introduzir na rotina diária, que trazem benefícios a longo prazo para a saúde do diabético.

Para que se torne mais simples ter uma alimentação adequada, há alguns hábitos que o diabético pode e deve adquirir, entre eles:

  • Introduzir mais legumes na alimentação – a ingestão de legumes contribui para uma absorção mais lenta dos açúcares. Pelo menos ¼ do prato deve corresponder a este grupo de alimentos;
  • Evitar o consumo de alimentos açucarados, dando preferência aos hidratos de carbono complexos, consumir moderadamente e em pequenas porções de cada vez, optando por produtos integrais
  • Moderar o consumo de gorduras, privilegiando o azeite
  • Ter atenção na escolha das proteínas – a carne e o peixe são bem-vindos na dieta de quem tem diabetes. No entanto, devem ser comidos com moderação, dando preferência ao peixe pelos seus efeitos benéficos (nomeadamente a nível cardiovascular);
  • Beber água de forma regular (cerca de 1,5L por dia), mesmo sem sede;
  • Fazer 5 a 6 refeições, mais leves, por dia e mastigar lentamente os alimentos;
  • Lavar os vegetais e as frutas em lata mesmo antes de os cozinhar – desta forma, é possível reduzir o teor em sódio (sal) e açúcar;
  • Começar a refeição com uma salada ou com uma sopa – é uma forma simples de comer mais vegetais, além de diminuir o apetite para o prato principal;
  • Coma vegetais e frutas frescos e da época – no entanto saiba ainda que a opção congelada mantém, geralmente, as mesmas propriedades;
  • Preparar snacks saudáveis e guardá-los em locais estratégicos – desta forma, quando a fome “atacar”, é possível fugir dos alimentos menos saudáveis. Experimente cenoura crua descascada e cortada em palitos com iogurte natural (sem adição de açúcar), iogurte com granola integral, ovo cozido, etc.;
  • Fora de casa, optar por, por exemplo, por alimentos grelhados, com pouco sal, retirando a pele do peixe e evitando comer as partes mais escuras e com mais gordura da carne – fale com o restaurante de forma a ir ao encontro da sua expectativa – porque não pedir os molhos e acompanhamentos à parte e poupar dinheiro saltando a sobremesa?

Já segue algum destes conselhos? Se sim, está no bom caminho. Aproveite e vá introduzindo os restantes no seu dia a dia, até ter completado esta lista.

Não se esqueça: estes conselhos não sobrepõem as indicações do seu médico ou nutricionista.