Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
16 outubro 2016
Texto de Carina Machado e Sónia Balasteiro Texto de Carina Machado e Sónia Balasteiro
Vacina segura

​​​​​​​​​Com uma só picada, protege-se a si e aos idosos e doentes crónicos com quem vive, que correm mais riscos.

VACINA

Missão: Prevenir a doença.

Estratégia: Estimular o organismo a produzir anticorpos.
 
Composição: Componentes vivos atenuados de vírus. Muda anualmente, segundo recomendações da OMS baseadas na incidência viral do ano anterior.

Efeitos secundários: Ligeiros, não carecem de tratamento. Eventual dor e vermelhidão no local da injecção, dor de cabeça e ligeira subida da temperatura corporal.

Alvos: Toda a população. O aumento da cobertura vacinal reduz a probabilidade de contágio e um controlo mais eficaz da doença, com vantagens também para toda a ​economia, incluindo o SNS, já que o custo da vacina é menor do que os gastos decorrentes do tratamento da doença.

Alvos recomendados pela Direcção-Geral da Saúde: Pessoas com 65 ou mais anos de idade, principalmente residentes em lares. Doentes crónicos ou imunodeprimidos, com seis ou mais meses de idade. Pr​ofissionais de saúde e prestadores de cuidados a idosos. Grávidas, de acordo com o aconselhamento médico.

Contra-indicações: A vacina está contra-indicada a pessoas com historial de reacção alérgica à vacina, pessoas com historial de desenvolvimento de reacção anafilática às proteínas do ovo, pessoas constipadas ou com gripe, crianças com menos de seis meses de idade.

Calendário: A vacinação deve ser feita preferencialmente entre os meses de Outubro e Novembro.


VACINA 2016/2017

A vacina deste ano tem na composição as estirpes do vírus Influenza mais comuns no ano passado. É contra elas que oferece protecção: vírus da gripe tipo A (H1N1), vírus da gripe A (H3N2), vírus da gripe B.


SAIBA MAIS

Eficácia: Apesar de não oferecer uma protecção a 100%, a eficácia é muito elevada. Na menor eventualidade de infecção, a intensidade dos sintomas e a possibilidade de ocorrência de complicações são significativamente reduzidas.
Mitos: A vacina não causa a doença. Os vírus que contém são inactivos. Mas também não confere imunidade para a vida. Mesmo que as estirpes sejam as mesmas do ano anterior, é necessária uma nova administração.
Ovos: Os vírus usados nas vacinas são cultivados em ovos de galinha.
 

VACINAR NA FARMÁCIA: PRÁ​​TICO E SEGURO

Desde 2008 que os portugueses podem vacinar-se contra a gripe nas farmácias. Para além de estarem mais próximas dos utentes, as farmácias têm ainda a vantagem de oferecer um serviço imediato, sem esperas, factores valorizados pelas pessoas na sua avaliação.


Mais de meio milhão de vacinas dispensadas
Com uma só picada, protege-se a si e aos idosos e doentes crónicos com quem vive, que correm mais riscos.:
  • 97,9% têm intenção de voltar na próxima época
  • 98,2% de utentes muito satisfeitos com o serviço
  • 98% recomendam o serviço a terceiros
Notícias relacionadas