Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
3 junho 2017
Texto de Maria José Sampaio (Farmacêutica) Texto de Maria José Sampaio (Farmacêutica)
Um lugar ao sol

​​​​​​​Quer ajuda para um bronzeado saudável?

Tags
Suplementos na farmácia Revista Saúda #20 Sol

Com o mês de Junho chegam finalmente os dias de sol a convidarem a actividades ao ar livre, idas à praia e piscina.

Para um bronzeado mais saudável e uniforme, pode tomar-se oralmente suplementos com acção antioxidante e antienvelhecimento, pelo menos uma semana antes da primeira exposição ao sol e até ao final do Verão (se começar de imediato, só tem a ganhar e a sua pele agradece).

Estes suplementos são essenciais a cada vez mais pessoas que apresentam alergia ou sensibilidade à luz, nas quais o sistema imunitário se tornou reactivo aos raios UV.

São ainda necessários para quem tenha a pele fragilizada por tratamentos para a acne, ou estéticos (peelings, por exemplo) e para pessoas com exposições prolongadas ao sol, como os trabalhadores agrícolas.
​​
Os suplementos solares são de toma fácil, habitualmente só uma vez ao dia, e têm na sua composição antioxidantes como carotenóides (também aumentam a produção de melanina), vitamina A, vitamina C e selénio.

Podem ainda conter probióticos e ómega-3, para evitar a secura da pele.

Nenhum dos suplementos existentes no mercado substitui a aplicação do protector solar de factor igual ou superior a 30, meia hora antes da exposição e renovado a cada 2 horas. A toma não anula, igualmente, a recomendação de evitar apanhar sol entre as 11h e as 16h.

Apesar da controvérsia sobre o uso dos suplementos com vitamina D, não posso deixar de referir que existem estudos que comprovam o défice dessa vitamina em crianças e adolescentes resultante de muitas horas em espaços fechados e pouca actividade no exterior. 15 a 20 minutos de exposição solar nos braços e pernas sem protector são suficientes para um indivíduo saudável sintetizar a quantidade necessária de vitamina D.

Mas valores deficitários também têm sido observados em adultos, que não deverão, no entanto, aumentar o tempo de exposição solar pelo risco acrescido de cancro de pele. Sempre que os níveis deficitários desta vitamina o justifiquem, o médico poderá recomendar a suplementação.
Notícias relacionadas