Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
26 janeiro 2017
Texto de Rita Leça Fotografia de Pedro Loureiro Fotografia de Pedro Loureiro Texto de Rita Leça
Sempre presente no atendimento

​​Farmácia Alto da Eira, Santa Iria da Azóia.

«Sou professora de Ciências Naturais e gosto de partilhar os artigos científicos da revista com os meus alunos. São sempre assuntos do quotidiano, que podem ser úteis». As palavras são de Ana Paula Mota, professora do ensino secundário que, também por isso, diz, gosta de «dar uma olhadela à revista todos os meses».

Por exemplo, na edição de Novembro, o texto relacionado com os suplementos alimentares serviu de apoio nas aulas dos alunos do 9.º ano, quando «abordámos a alimentação saudável. São artigos pertinentes, com utilização prática», sublinha.

 


 
Ana Paula Mota é utente regular da Farmácia Alto da Eira, em Santa Iria da Azóia, Lisboa. Deposita muita confiança nos profissionais que lá trabalham. São eles que todos os meses lhe entregam a Revista Saúda, a qual, ali, é encarada como um instrumento de trabalho: a publicação é distribuída aos utentes, o que ajuda a criar uma rotina relacional, e é frequentemente utilizada como apoio ao atendimento.​

«Desde que a revista surgiu que a utilizamos em quase todos os nossos atendimentos, seja na divulgação dos conteúdos, seja na utilização dos vales de desconto», conta a proprietária da farmácia, Vanda Cabanas, acrescentando que a maioria dos utentes gosta muito da Saúda. «Muitas vezes perguntam: “Não tem a revista? Essa edição eu já tenho”. É uma boa revista!», defende, sorrindo.

 


 
«A Saúda prima pelo conteúdo científico», destaca Vanda, evocando o dossier sobre a gripe. «Foi bastante útil durante a campanha, para explicarmos a importância da vacinação. Era um excelente artigo, explicativo», sublinha a responsável da farmácia, considerando que «o texto respondia a muitas questões que as pessoas colocaram, de uma forma muito bem escrita e educativa».

Mas também os vales de desconto fidelizam. Tanto os utentes como os farmacêuticos. «É uma utilidade para quem compra e é uma vantagem também para nós», admite Vanda Cabanas.

 

 

Percebendo isso, remodelou uma parte do móvel da entrada da Farmácia Alto da Eira, para criar «uma moldura, onde, em cada prateleira, colocamos os produtos em destaque nesse mês, divididos pelos pictogramas da própria revista». Por exemplo, «quando tivermos produtos relacionados com o tema “família”, vamos colocar numa prateleira esses produtos, com o respectivo pictograma», sendo assim mais facilmente detectados pelos utentes.
 
Nesta farmácia não há dúvidas:  há vantagem na incorporação da revista no trabalho quotidiano, pelo que a tiragem deveria até ser aumentada. «Se houver revistas em número suficiente, quero entregar um exemplar a cada utente. Mesmo às pessoas que não sabem ler ou que têm pouca literacia». Conforme faz notar, os casos de superação pessoal contados na rubrica “Herói Saúda” são sempre «inspiradores» e muito apreciados pelos leitores mais velhos, dita-lhe a experiência. «E há sempre alguém que lhes pode contar a história, como um neto que pode ler para o avô o caso de vida que lá vem».

Profiler: Novo sistema de gestão de filas
A Farmácia Alto da Eira está a participar no projecto-piloto Profiler, um sistema novo e inteligente de gestão de filas.​​​

 

 

O Profiler pede aos utentes que se identifiquem com o cartão Saúda à entrada da farmácia, atribuindo-lhes pontos, desde logo e só por isso. A partir daí, o sistema reconhece o perfil de consumo de cada pessoa, possibilitando um atendimento customizado no balcão e a apresentação de conteúdos direccionados nos monitores da farmácia. Considere-se o exemplo de um utente que compra muitos produtos para bebés: automaticamente aparecem nos televisores da farmácia produtos dessa categoria.
 
O Profiler oferece, ainda, uma plataforma web, acessível no computador, tablet ou smartphone, que permite a gestão de conteúdos, estatísticas e dados de atendimento. Os utentes têm acesso gratuito à Internet na farmácia, através do wi-fi “Saúda”.​​​​

 
 


 
Notícias relacionadas