Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
19 abril 2017
Texto de Sónia Balasteiro Texto de Sónia Balasteiro
Sarampo: Especialistas aconselham vacinação

​​​​Sarampo já matou em Portugal. A prevenção é o melhor remédio.

Tags mais populares
Vacinação
Até 17 de Abril ocorreram 21 casos de sarampo confirmados pelo Instituto Ricardo Jorge. Uma adolescente que estava internada com sarampo no Hospital Dona Estefânia morreu esta quarta-feira devido a complicações associadas à doença. 

A vacinação, defendem a Direcção-geral da Saúde e muitos especialistas, é a principal medida de prevenção contra a doença. É gratuita e está disponível a todos os portugueses. «A vacinação é essencial não apenas para evitar a doença individualmente, mas para que seja possível controlar surtos e, eventualmente, erradicar o Sarampo na Europa», explica o Centro de Informação do Medicamento (CEDIME) da Associação nacional das Farmácias, em comunicado. Os farmacêuticos estão aptos e disponíveis para aconselhar e esclarecer a população sobre os cuidados a ter. 

O Plano Nacional de Vacinação (PNV) recomenda duas doses da vacina: uma aos 12 meses e outra aos 5 anos. 

A DGS revelou que a ocorrência de surtos de sarampo, doença contagiosa, em vários países europeus, devido à existência de comunidades não vacinadas colocou Portugal em risco, existindo um «maior perigo de pessoas não protegidas adquirirem a doença».

A maioria da população encontra-se protegida porque foi vacinada, com coberturas superiores a 95% desde 2006. Até agora, o sarampo estava dado como erradicado do país. A DGS afirma não estar em causa epidemia.

Desde 2016, foram reportados casos de sarampo em diversos países europeus, como a Áustria, a Bélgica, a Itália, Portugal, Espanha, Suécia ou Roménia. Só na Roménia, entre setembro 2016 e 31 março de 2017 foram reportados 4.025 casos. ​
Notícias relacionadas