Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
3 junho 2017
  Pele
Texto de Clarisse Louro (Enfermeira) Texto de Clarisse Louro (Enfermeira)
Salvar a pele

​​​​​​O sol, quando nasce, pode ser bom ou mau para todos.

Tags
Consultório Revista Saúda #20 Sol
Com a chegada do bom tempo, é essencial tomar precauções com o sol de modo a evitar problemas graves. A exposição prolongada atinge as camadas mais profundas da pele e modifica as células, causando envelhecimento precoce, lesões nos olhos, queimaduras solares ou, em alguns casos, cancro da pele.

Deve evitar as horas de risco no que toca à exposição solar – entre as 11h00 e as 16h00. A prevenção começa em casa, por isso o ideal é aplicar um creme protector cerca de 30 minutos antes de ir para a praia ou piscina (de preferência com factor igual ou superior a 30). Renove a aplicação frequentemente e, se for ao banho, volte a pôr. Use protector mesmo que o tempo esteja nublado, porque a exposição solar pode continuar elevada.

Apesar dos cuidados normais com o sol, existem grupos de risco que devem ter especial atenção às radiações solares: crianças nos primeiros anos de vida, pessoas idosas, portadores de doenças crónicas (cardiovasculares, respiratórias, renais, diabetes, alcoolismo), pessoas obesas, acamados, com problemas de saúde mental, quem tome medicamentos como anti-hipertensores, antiarrítmicos, diuréticos, antidepressivos, neurolépticos, entre outros. Trabalhadores expostos ao sol e/ou ao calor.

Se apanhar uma queimadura solar deve colocar-se imediatamente à sombra e aplicar compressas com água fria na zona afectada. Não utilize álcool, manteiga ou óleos gordos, nem tente rebentar as bolhas. É aconselhável contactar o médico de modo a despistar quaisquer outros problemas que possam surgir.

Durante os períodos de calor intenso, a produção de suor é a principal forma de arrefecimento do corpo à medida que a transpiração se evapora. Em situações extremas de exposição ao calor intenso, podem surgir golpes de calor, esgotamento ou cãibras que podem obrigar a cuidados médicos. Nesses casos, os sintomas podem incluir febre, pele vermelha e quente, pouca produção de suor, náuseas, desorientação e perda parcial ou total de consciência. No caso das cãibras, são normais os espasmos musculares dolorosos do abdómen e das extremidades do corpo (pernas e braços), provocados pela perda de sais e electrólitos.

Caso alguma destas situações aconteça, deve contactar o número de emergência 112 enquanto se aplica panos húmidos nos locais mais afectados.

Tenha sempre em atenção os seguintes conselhos:

  • Use roupas que evitem a exposição directa da pele ao sol – lembre-se de usar chapéu e óculos de sol

  • Beber líquidos é essencial, de preferência água ou sumos de fruta

  • Evite a ingestão de bebidas alcoólicas

  • Não faça refeições muito pesadas e condimentadas

  • Se vai à praia ou piscina, refresque-se mas evite subidas bruscas de temperatura (evite um duche gelado depois de algum tempo de exposição ao sol)
Notícias relacionadas