Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
19 outubro 2016
  Dignitude
Texto de Sónia Balasteiro Fotografia de Pedro Loureiro Fotografia de Pedro Loureiro Texto de Sónia Balasteiro
Cartões Abem entregues em Rio de Mouro

​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​Cerca de 50 pessoas apoiadas pelo Centro Comunitário de Rio de Mouro receberam cartão que lhes dá acesso aos medicamentos de que precisam.

​São já 225 as famílias apoiadas pelo Centro Comunitário Paroquial de Rio de Mouro (Sintra), a primeira localidade do país a receber o Programa Abem, da Associação Dignitude, que assim têm acesso a todos medicamentos que lhes são prescritos pelo médico. Para tal basta mostrarem na farmácia o cartão Abem que lhes é entregue no centro comunitário. 
 
Mariana Alcaparra é uma das 717 pessoas abrangidas pelo Programa Abem em Rio de Mouro. Recebeu o seu cartão em Maio. “Foi um bem que me bateu à porta. Tinha problemas cardíacos e, todas as vezes que ia à médica, não conseguia suportar o valor das receitas passadas. Ou não comia mesmo ou não comprava a medicação”, conta.
 
Durante uma visita de responsáveis da Associação Dignitude, fundada pela Associação Nacional das Farmácias (ANF), pela Cáritas Portuguesa, pela Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica (APIFARMA) e pela Plataforma Saúde em Diálogo, foram cedidos cartões Abem a cerca de 50 pessoas de escassos recursos financeiros, no Centro Comunitário de Rio de Mouro. 
 
Esta localidade do concelho de Sintra é uma das 12 no país onde se iniciaram já experiências-piloto do Programa Abem, que abrange “1.500 pessoas, 168 das quais crianças”, adiantou o presidente da Dignitude, Paulo Cleto Duarte, durante a visita a Rio de Mouro. 
 
Na entrega dos cartões, o responsável salientou a importância daquela que é a primeira iniciativa da Dignitude. “O nosso principal objectivo é garantir que nenhum português possa não ter acesso à sua medicação por questões económicas”, referiu, lembrando a realidade mostrada pelas estatísticas: “Um em cada cinco portugueses tem dificuldades em ter os medicamentos de que precisa”. 
 

Uma ajuda “vital”
 
Na Farmácia Serra das Minas, também em Rio de Mouro, os profissionais conhecem bem as dificuldades dos utentes. Joana Santos, directora técnica da farmácia, explica que naquela região “existe muita carência económica”. 
 
Daí que a Farmácia Serra das Minas tenha sido a primeira a aderir ao projecto, logo em Maio. “O Abem veio ajudar em termos de garantir, a 100%, a adesão à terapêutica”, congratula-se a responsável. “O utente não paga nada pelos medicamentos”.
 
A farmácia encaminha as pessoas carenciadas para o Centro Paroquial, continua Joana Santos, explicando que, para muitas, esta comparticipação significa “a saída de um sufoco”. “É uma ajuda essencial, vital”. ​

<iframe src="https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Frevistasauda%2Fvideos%2F1622701304697169%2F&show_text=0&width=560" width="560" height="315" style="border:none;overflow:hidden" scrolling="no" frameborder="0" allowTransparency="true" allowFullScreen="true"></iframe>​
​​
Notícias relacionadas