Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
29 agosto 2016
Texto de Pedro Veiga Texto de Pedro Veiga
Portugal apontado como exemplo
​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​1,6 milhões de portu​gueses receberam vaci​nas e medicamentos​​ injectáveis nas farmácias.​

​Portugal foi escolhido pela Federação Internacional Farmacêutica (FIP) como exemplo de boas práticas de intervenção das farmácias, em particular no alargamento das iniciativas de vacinação. A FIP divulgou no dia 27 de Agosto o seu Global Report dedicado ao papel da intervenção farmacêutica na administração de medicamentos, com enfoque nas actividades de vacinação, onde se pode ler que «em Portugal, os farmacêuticos estão envolvidos activamente em iniciativas de promoção da imunização, por exemplo, através da identificação e do aconselhamento de pessoas em situação de vulnerabilidade (...) e do seu reencaminhamento para os seus médicos».

Estima-se que, desde 2007, mais de 1,3 milhões de portugueses foram vacinados nas farmácias, a que se somam mais de 300 mil administrações de medicamentos injectáveis.​

Presente na apresentação mundial do relatório, o Presidente da ANF,  Paulo Cleto Duarte, descreveu a referência ao exemplo português como «o reconhecimento internacional que confirma o que diariamente os portugueses conhecem e nos transmitem: confiança, satisfação e segurança na administração de vacinas e medicamentos injectáveis por farmacêuticos certificados nas nossas farmácias».


De acordo com um estudo de satisfação realizado pelo Centro de Estudos e Avaliação em Saúde (CEFAR), a satisfação dos utentes com a administração de vacinas na farmácia ultrapassa os 95%, sendo que a proximidade, a confiança, a conveniência e a rapidez são destacados como factores de escolha.​

A escolha de Portugal como caso de estudo confirma o sucesso e referência da intervenção farmacêutica no nosso país, já amplamente reconhecida pelos cidadãos nacionais.


Consulte o relatório aqui​.​