Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
29 abril 2017
Texto de Luísa Vitorino (enfermeira Associação Mellitus Criança) Texto de Luísa Vitorino (enfermeira Associação Mellitus Criança)
Peregrino diabético

​​​​​​​​​​Guia para insulinodependentes.

Tags
Revista Saúda #19
Uma pessoa com diabetes tipo 1 deve planear, preparar, vigiar e monitorizar os níveis de glicémia durante a peregrinação e ter a noção da alimentação que deve ingerir, bem como a quantidade de insulina a administrar. Deve estar preparado psicologicamente e fisicamente para o exercício que vai ter pela frente. É muito importante estar em boa condição de saúde e ter a diabetes controlada.

• O planeamento deve ser feito com o médico e o enfermeiro, uma vez que o esforço físico aumenta o consumo de glicose e diminui a necessidade de insulina, podendo haver necessidade de fazer ajustes terapêuticos.

• Prepare-se para as pequenas descompensações. Durante a peregrinação, é fundamental uma alimentação saudável e uma boa hidratação, sendo normal a descida de açúcar no sangue. Na mochila têm de existir hidratos de carbono (HC) de absorção rápida, nomeadamente pacotes de açúcar e sumos com alto teor de açúcar, e HC de absorção lenta, como as frutas, bolachas, barritas de cereais ou pão.

• Vigie e monitorize os valores de glicémia para evitar descompensações e ter atenção aos seus pés. Para prevenir hipoglicemias, deve ingerir atempadamente alimentos açucarados. É muito importante que exista uma comunicação constante com os companheiros de viagem, informando-os sobre a sua condição e que estejam preparados para prestar apoio. Se houver algum sintoma, deverá parar para monitorizar a glicémia e nunca ficar sozinho. Qualquer pessoa pode fazer a peregrinação e a mesma deve ser vivida de forma feliz e segura.

Kit de sobrevivência

Tem de levar:
» um medidor de glicemia;
» as fitas de glucose e de corpos cetónicos;
» o seu picador (lancetas extras);
» a caneta de insulina;
» o glucagen (salva-vidas, devidamente acondicionado).​
Notícias relacionadas