Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
29 abril 2017
Texto de Maria João Veloso Fotografia de Pedro Loureiro Fotografia de Pedro Loureiro Texto de Maria João Veloso
Os bastidores da entrevista

​​​​​​​​​​​Os seus três cães estão sempre presentes.

Tags
Entrevista Exclusivo online Revista Saúda #19
Rita Blanco diz «sempre a verdade». Chega ligeiramente atrasada ao encontro porque perdeu um dos seus três cães no habitual passeio ao Parque Florestal de Monsanto. «O Óscar pira-se e vai à vida dele. Eles não fogem, fazem de cães», afirma, convicta, enquanto lá consente ser maquilhada. Felizmente, o Óscar deu sinal de vida, ou Rita não estaria ali a despir-se e a vestir-se a propósito do filme "Fátima", de João Canijo, que acaba de estrear. A filha adolescente, Alice e os cães são uma constante no discurso desarmante a que nos habituou através da capacidade espontânea de pôr as pessoas a rir. Ser actriz tem destas coisas, tratamo-la como uma velha amiga. 

Traz um vestido primaveril, sapatinhos vermelhos e até uns ténis onde figuram ilustrações dos seus cães: Óscar – o cão que teve a audácia de pôr esta entrevista em perigo, Ritinha e Trufa. Passear com eles é, como diz, «melhor do que ir ao psiquiatra».
Notícias relacionadas