Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
16 outubro 2016
Texto de Carina Machado e Sónia Balasteiro Texto de Carina Machado e Sónia Balasteiro
O vírus que mata 2.400 portugueses

​​​​​​​​​Gripe afecta 10% a 20% da população mundial todos os anos.

​INFLUENZA

Forma: Vírus esférico com a superfície coberta de proeminências, como uma bola com picos. As proeminências são proteínas: a hemaglutinina (16 tipos distintos), que permite ao vírus entrar nas células, e a neuraminidase
(nove tipos diferentes), que possibilita a propagação.
Tipos: Existem três tipos do vírus Influenza: A, B e C. Os tipos B e C afectam apenas o Homem, sendo que os Influenza B são principalmente responsáveis por surtos em crianças. Os Influenza A são os mais i​nstáveis e podem infectar também outras espécies. Normalmente são os que desencadeiam a gripe moderada a grave.
Subtipos: Os Influenza A podem ser classificados em subtipos, de acordo com as duas proteínas que os constituem. Por exemplo, o vírus H3N1 apresenta o tipo 3 de hemaglutinina (H) e o tipo 1 de neuraminidase (N). A combinação destas proteínas está em constante mudança nos vírus.
Transmissão: Através de partículas de saliva de pessoas infectadas, expelidas pela respiração, fala, tosse e espirros. Por contacto directo, quando, por exemplo, um doente espirra para a mão e mais tarde cumprimenta alguém. P​or contacto indirecto com superfícies contaminadas (maçaneta de uma porta ou comando da TV, por exemplo).
Período de incubação: Um a quatro dias. O doente é contagioso desde dois dias antes do aparecimento dos primeiros sintomas e até cinco a sete dias depois.


O QUE É A GRIPE?

É uma infecção respiratória provocada pelos vírus Influenza, que atinge, principalmente, as vias aéreas superiores: nariz e fossas nasais, seios perinasais, boca, faringe e laringe. Surge nos meses frios, o que, no nosso caso, significa entre Novembro e Março.
É uma doença aguda e contagiosa, de curta duração, que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), todos os anos afecta 10% a 20% da população mundial, causando meio milhão de mortes.
Em Portugal, a média anual é de 2.400 óbitos.


COMO SE MANIFESTA?

Os sintomas surgem entre dois a quatro dias após o contágio e manifestam-se subitamente.
Nos adultos, instala-se, primeiro, um mal-estar generalizado, com arrepios e febre alta, dores musculares, articulares e de cabeça, acompanhado de queixas respiratórias ligeiras, como tosse seca, ligeira dor de garganta
e nariz congestionado. A tosse pode depois intensificar-se e, em alguns casos, associar-se a expectoração.
Nas crianças mais pequenas os sintomas podem, consoante a idade, ser ligeiramente diferentes. Nos bebés é frequente a doença manifestar-se por febre alta, prostração e sintomas gastrointestinais, como vómitos e diarreia.
Nas crianças até aos três anos, além dos sintomas anteriores,
é frequente desenvolverem-se otites. Na maioria dos casos, ao fim de uns dias os sintomas mais prevalentes desaparecem, podendo a tosse
e a fadiga persistir durante uma ou duas semanas.


MAIS VALE PREVENIR...

Evite o contacto directo com pessoas infectadas;
Evite a permanência em espaços fechados, pouco ventilados e com grande concentração de pessoas;
Adopte alguns cuidados básicos, como:
Usar lenços descartáveis para se assoar, em vez de lenços de pano;
Lavar frequentemente as mãos, principalmente depois de se assoar e antes de comer;
Ao espirrar ou tossir, cubra a boca com um lenço ou com o antebraço, nunca com as mãos;
​​ Faça a vacina contra a gripe​.


... MAS PODE TER DE REMEDIAR

Na gripe, tratam-se os sintomas. O farmacêutico vai aconselhar-lhe:
Medicamentos analgésicos e antipiréticos, para alívio das dores e diminuição da febre;
Medicamentos antitússicos, para redução da tosse;
Medicamentos descongestionantes, para atenuar a congestão nasal.
E cuidados adicionais, como o repouso e a hidratação. A ingestão de líquidos (água, sumos sem açúcar, chá ou sopa) contribui para fluidificar as secreções, diminuir a irritação da garganta e prevenir a desidratação associada à febre. Evite também mudanças de temperatura e locais pouco arejados.


A GRIPE NÃO SE TRATA COM ANTIBIÓTICOS

Os antibióticos combatem bactérias, e a gripe é causada por um vírus. Bactérias e vírus são espécies de microrganismos totalmente diferentes, e os antibióticos não têm qualquer efeito sobre os últimos. Os antibióticos só podem ser tomados com prescrição médica. Não os use em automedicação. Ao contrário do que possa imaginar, não está a tratar-se, só está a contribuir para um muito prejudicial aumento da resistência das bactérias ​a estes medicamentos.​
Notícias relacionadas