Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
17 dezembro 2016
Texto de CEDIME Texto de CEDIME
Não se assuste!

​​​​​​É possível tomar correctamente muitos medicamentos ao mesmo tempo.

​​À medida que vamos somando anos de vida é normal surgirem doenças, o que obriga a tomar vários medicamentos em simultâneo – é a chamada polimedicação. Esta situação aumenta a probabilidade de efeitos adversos e interacções, que podem e devem ser prevenidos. O organismo vai modificando a capacidade de transformar e eliminar os medicamentos, que actuam de forma diferente numa pessoa com mais idade ou em adultos jovens. Aqui apresentamos algumas pistas para simplificar a vida:

1. Fale com o seu médico ou com o seu farmacêutico e faça perguntas. É importante ter respostas:

Como se chama o medicamento? Para que serve? Qual o efeito?
Como tomar e quando? Antes, depois ou no intervalo das refeições? Há alimentos a evitar?
Tomar por quanto tempo?
Que cuidados especiais se deve ter? Pode-se beber álcool? E conduzir?
O que fazer caso ocorram efeitos adversos?
 
2. Se sentir necessidade, peça ao profissional de saúde para falar mais lentamente, com uma linguagem simples, ou que escreva a informação num papel de forma legível e acessível.

3. Partilhe informação: informe o seu médico ou o seu farmacêutico sobre todos os medicamentos que toma, sejam ou não de receita médica, sem esquecer os chamados produtos de saúde – chás, vitaminas e suplementos.


CUMPRIR O TRATAMENTO É ESSENCIAL E É POSSÍVEL:

Manter um registo actualizado de todos os medicamentos,  incluindo os não sujeitos a receita médica e os produtos de saúde. Peça na farmácia o cartão “Os meus medicamentos”.

Ande sempre com o cartão “Os meus medicamentos” e guarde uma cópia em casa; se necessário, dê cópia a um amigo ou familiar.

Mostre o cartão “Os meus medicamentos” sempre que vai ao médico ou à farmácia.

Respeite as instruções do médico ou do farmacêutico sobre a toma: não altere doses, não mude o horário das tomas, não interrompa o tratamento.

Organize os medicamentos e ajude a memória com lembretes espalhados pela pela casa – na porta do frigorífico, no espelho da casa de banho, na cabeceira da cama... crie o seu próprio sistema.

Se tiver um Iphone ou um smartphone, ou ainda um tablet, instale a aplicação das Farmácias Portuguesas, ou peça a um familiarque o faça, e configure o alerta de medicamentos. O seu farmacêutico pode ajudar. Deste modo, recebe um alerta à hora que deve tomar a medicação e pode registar sempre que o faz.

Existem farmácias que prestam serviços de dispensa de medicação personalizada. Verifique se a sua farmácia o faz. 
Notícias relacionadas