Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
11 fevereiro 2017
  Idosos
Texto de João Gorjão Clara (Médico e professor de Medicina Geriátrica) Texto de João Gorjão Clara (Médico e professor de Medicina Geriátrica)
Mandamentos para o frio

​​​​O Inverno é perigoso para os idosos.

O frio agrava as doenças crónicas e favorece o aparecimento de doenças agudas. Ter frio é não ter qualidade de vida.

Permito-me dar alguns conselhos a que chamarei de "mandamentos" para passar o Inverno.

1. Guarde o calor do corpo, usando dois pares de meias, collants ou ceroulas por baixo de calças quentes e folgadas. Não saia à rua sem gorro ou chapéu e mesmo em casa use-o para preservar o calor da parte mais quente do seu corpo e por onde perde mais calor. Use um cachecol em volta da boca e do nariz, para se proteger do vento frio e evitar a exposição aos vírus da época. Vista um casaco grosso por cima da camisola de lã e não dispense a camisola interior. Use sapatos confortáveis com sola de borracha no tempo seco e com sola de cabedal no chão molhado.

2. Saia à rua nas horas menos frias do dia. Se sentir frio, entre num café e recupere um pouco de calor. Aproveite para tomar uma bebida quente: chá, café ou chocolate; não beba bebidas alcoólicas.
 
3. Beba bastantes líquidos mesmo que não sinta sede. O seu "termostato" necessita de água para funcionar convenientemente.

4. Alimente-se bem. Para produzir calor tem de ingerir calorias. Coma alimentos frescos e comece pela sopa quente.

5. Afaste-se de quem tussa ou revele outros sinais de doença.

6. Lave muitas vezes as mãos. Antes de sair para a rua e ao chegar a casa, gargareje com água salgada.

7. Evite o calor da braseira ou da lareira numa casa sem ventilação. Use o saco de água quente e os aquecimentos que não consomem oxigénio.

8. Vacine-se contra a gripe.

Tenho a certeza de que não lhe ensinei nada que já não soubesse, mas talvez mesmo assim tenha sido útil ao recordar-lhe estes "mandamentos". 
Notícias relacionadas