Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
9 fevereiro 2017
Texto de Mário Beja Santos (técnico de defesa do consumidor) Texto de Mário Beja Santos (técnico de defesa do consumidor)

Males de Inverno: aconselhe-se com o seu farmacêutico

​​«Nenhum doente se deve sugestionar pelas promessas publicitárias ou conselhos do vizinho».

O Inverno chegou finalmente e com ele o frio, a chuva e as alterações bruscas de temperatura. Nesta época levamos uma vida mais resguardada, passando mais tempo em ambientes fechados, condição favorável ao aparecimento e à transmissão rápida de infecções das vias respiratórias superiores. Um risco que aumenta quanto maior for a permanência nestes ambientes e maior for o número de pessoas a partilhá-los. Vejam-se os casos dos lares de terceira idade, das escolas, dos infantários ou dos transportes públicos.

As diferentes infecções víricas manifestam-se de forma ligeira junto de um grande número de pessoas, mas podem prejudicar gravemente a saúde de outras, designadamente seniores, doentes crónicos, indivíduos debilitados, crianças, entre outros. 

Uma constipação pode, no início, apresentar-se de forma benigna (sem febre), mas quando presente em doentes crónicos e vulneráveis, se não houver o cuidado suficiente e o tratamento imediato e efectivo, podem ocorrer complicações com infecções bacterianas (caso de pneumonias ou sinusites), e a criação de condições para o agravamento das doenças de base.

Já a gripe é uma infecção viral mais grave que a constipação. Aparece com febre alta e induz complicações análogas, mas de um modo geral com muito mais gravidade. A constipação nem sempre aparece associada à febre, inicia-se pelo desconforto das vias respiratórias superiores (irritação da garganta, nariz a pingar, ligeiras dores do corpo, dores de cabeça, etc.) e pode evoluir para sintomas como nariz tapado ou tosses com expetoração. A gripe eclode geralmente de um modo súbito, manifestando-se com febre alta e dores musculares intensas; pode ocorrer até sem sinais respiratórios, pelo menos no início.

Os períodos invernosos também podem favorecer o agravamento de doenças pré-existentes: é o caso do “reumatismo”, das doenças respiratórias e cardíacas. A um doente com angina de peito basta caminhar ao frio ou contra o vento para ver favorecidos os ataques de angina ou mesmo um enfarte do miocárdio. 

Perante condições destas, o aconselhamento farmacêutico é crucial. Nenhum doente se deve sugestionar pelas promessas publicitárias ou conselhos do vizinho. Por exemplo, há dezenas de medicamentos diferentes para a constipação e qualquer um deles, sem excepção, precisa de dispensa personalizada: há medicamentos que só actuam para quem tiver o nariz a pingar e entupido; há casos em que se precisa de outro medicamento se houver dores no corpo; há medicamentos que não fazem parar o pingo do nariz embora aliviem o nariz entupido. Há medicamentos que não podem ser tomados por pessoas com problemas de estômago, outros não podem ser usados por doentes cardíacos, outros não devem ser tomados por pessoas que conduzem e alguns são mesmo prejudiciais aos doentes com hipertrofia da próstata e com glaucoma.

Aconselhe-se sempre na sua farmácia. Lá vão ajudá-lo a tomar as opções mais certas para si e a passar um Inverno com mais saúde.