Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
11 abril 2016
Texto de CEDIME Texto de CEDIME

Maldita celulite

​É a famosa “casca de laranja”. Atinge mais as mulheres, mas não é um problema exclusivamente feminino. E nem sempre está relacionado com o peso. 

O que é?
 
Tem a inestética aparência de “casca de laranja” e resulta da acumulação de depósitos de gordura na pele, sob a forma de pequenos nódulos que surgem sobretudo nas coxas, ancas, nádegas e pernas.

A celulite aparece quando a gordura não é destruída ao mesmo ritmo que é armazenada, dando-se um aumento do volume das células adiposas. Simultaneamente, acumulam-se líquidos e as fibras que dão elasticidade à pele endurecem, contraindo-se e puxando a pele para baixo – daí a aparência irregular. Como resultado, pode ocorrer a compressão de terminações nervosas locais, responsável pela sensibilidade e dor associadas à celulite.

Este não é um problema exclusivo da obesidade. A celulite tanto surge em corpos com quilos a mais como nos que têm peso adequado e até nos magros. 

Porquê as mulheres?

Embora possa surgir nos homens, a celulite é mais frequente nas mulheres:

  • Porque o corpo feminino tem mais gordura: 20 a 25%, contra 10 a 15% no corpo masculino

  • Porque as células adiposas estão organizadas por lóbulos em camadas verticais, o que permite armazenar mais gordura, enquanto nos homens se organizam na diagonal, em pequenas unidades

  • Porque as alterações hormonais femininas podem levar a uma maior formação de celulite, coincidindo com momentos como a puberdade, a gravidez e a menopausa

Causas

Além do género, há outros factores envolvidos:

  • Genética – determina a localização e quantidade de células adiposas

  • Metabolismo lento – o desgaste das gorduras é retardado, o que favorece a sua acumulação

  • Idade – com os anos, as fibras perdem consistência e tonicidade

  • Ausência ou insuficiência de exercício físico

  • Alimentação demasiado rica em gorduras e hidratos de carbono, e pobre em vitaminas e minerais

Combater a celulite

Uma vez formada, a celulite instala-se e não desaparece com facilidade. Não é possível erradicá-la, mas é possível reduzi-la:

  • Pratique uma alimentação equilibrada. Favoreça os legumes, as frutas, as proteínas magras (aves e peixe) e os açúcares de absorção lenta (arroz e massas). Evite as gorduras saturadas e o sal

  • Aumente a ingestão de água (cerca de dois litros/dia) e reduza o consumo de álcool e cafeína

  • Faça exercício físico.Opte por exercícios localizados que estimulem a queima de gordura nas zonas mais afectadas

  • Use produtos de saúde à base de substâncias como cafeína, retinóis, alfa- hidroxiácidos e extractos de plantas. Encontram-se disponíveis no mercado diversas formulações, sob a forma de creme, loção, gel e até adesivos transdérmicos. Se estiver grávida ou a amamentar, fale com o seu médico ou farmacêutico antes da aplicação deste tipo de produtos

  • Faça massagens manuais ou use técnicas específicas, como a endermologia ou laser. A sua acção mecânica activa a circulação, promove a drenagem, torna os tecidos mais maleáveis e facilita a penetração dos produtos adelgaçantes.

Tome nota:

Em matéria de celulite, importa saber que não há soluções rápidas nem definitivas.

  • A celulite é  persistente, não basta “atacá-la” em vésperas da época balnear, é preciso investir ao longo do ano

  • ​Isolados, os produtos de saúde e as técnicas adelgaçantes não produzem o efeito desejado. Alisam a pele, mas não actuam em profundidade

  • Para obter resultados duradouros, é fundamental combinar uma dieta saudável com a prática regular de exercício físico. Assim reforça-se a estrutura muscular e consegue-se um equilíbrio entre as gorduras que se consome e as que se gasta​.