Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
15 outubro 2016
Texto de Jaime Pina (médico) Texto de Jaime Pina (médico)
Já se vacinou?

​​​​​​​​A gripe todos os anos mata em Portugal. Felizmente, temos armas preventivas  eficazes.

A praia e o campo nos meses de calor e a procura de actividades ao ar livre são a causa mais directa da descida da taxa de doenças respiratórias nesta época. Com a chegada do Outono é altura dos doentes respiratórios se prepararem e a palavra-chave é  prevenção!

É no Inverno que se verifica um aumento de infecções respiratórias. Nas crianças, as bronquites, as bronquiolites e as infeções das vias respiratórias superiores são causa de muitos episódios de doença, geradores de elevados níveis de absentismo escolar e repercussão sociofamiliar. Predominam os vírus como agentes causadores: rinovírus, vírus sincicial respiratório, vírus Influenza, etc.
 
Nos idosos, as pneumonias dominam. São uma das mais importantes causas de internamento hospitalar e de mortalidade. Nestes casos, predomina largamente a bactéria “pneumococo” como agente causador.

Uma palavra especial para a gripe, que todos os anos nos visita. A agressividade do vírus varia constantemente. Porém, por maior benignidade que apresente, todos os anos muitas pessoas perdem a vida devido a esta infecção.

Quer relativamente às pneumonias quer à gripe, existem vacinas eficazes, que se perfilam como as armas preventivas mais importantes: a antipneumocócica e a antigripal. Têm principal indicação em crianças, idosos e doentes crónicos. A vacina da gripe deve ser administrada, também, aos profissionais de saúde e a pessoas institucionalizadas.

Em Portugal, apesar de a vacina ser administrada gratuitamente às pessoas idosas, a percentagem de pessoas vacinadas está aquém do desejado.

As autoridades de Saúde devem promover campanhas de informação e de vacinação, tendo em vista uma maior cobertura vacinal da população.

Uma palavra, também, para os moduladores da resposta imunitária, medicamentos que tornam mais activas as células responsáveis pelo combate aos microrganismos. Estes medicamentos, normalmente administrados por via oral, têm a sua principal indicação naqueles que sofrem de infecções respiratórias de repetição.

Agora que o Verão terminou, vamos lá preparar o Inverno. 
Notícias relacionadas
Links relacionados