Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
1 julho 2017
Texto de Tânia Cordeiro (Nutricionista) Texto de Tânia Cordeiro (Nutricionista)
H20

​​​​​​​​​​​​Água e alimentos para um corpo hidratado.

Tags
Revista Saúda #21 Nutrição

A água é decisiva numa alimentação saudável e desempenha um papel crucial na saúde e bem-estar. 75% do corpo de um recém-nascido é constituído por água e, à medida que  vamos envelhecendo, essa proporção vai diminuindo. Continua, no entanto, a ser o principal componente do nosso organismo.

A água integra o funcionamento de todos os sistemas e órgãos, auxiliando no transporte de nutrientes e na eliminação de resíduos (através da urina). Regula a temperatura corporal, através da  transpiração; promove o adequado funcionamento muscular e protege as articulações; auxilia no adequado funcionamento intestinal, prevenindo a obstipação; contribui para a preservação da elasticidade da pele e para o funcionamento cognitivo​.​

Ao longo do dia perdemos água através da respiração, da transpiração, da urina e das fezes e, por isso, é fundamental repor as perdas para a manutenção do equilíbrio hídrico do organismo.​​

Quais as recomendações de ingestão de água? De acordo com um estudo liderado por Patrícia Padrão* em 2012, as recomendações de ingestão hídrica indicam que as mulheres devem ingerir diariamente, em média, 2 litros de água e os homens 2,5 litros.

75% das necessidades de água deverão ser provenientes de bebidas: 1,5 litros para as mulheres e 1,9 litros para os homens. O estudo baseou-se nas recomendações de 2010 da Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar.

1,5 e 1,9 litros de água correspondem aproximadamente a 8 e 10 copos (200ml por copo, em média), respectivamente.

No entanto, a necessidade diária de água deve ser adaptada às características individuais e ambientais. Por exemplo, poderá necessitar de ingerir maior quantidade em situações  patológicas, como a febre, diarreia e vómito; na gravidez e na lactação; com temperaturas extremas ou altitude elevada; ou na prática de exercício físico.

A ingestão de água deverá ser feita em pequenas quantidades, visto que a absorção de água poderá ser maior quando o volume de líquidos é repartido. Deve distribuir os copos de água ao longo do dia, antecipando a sensação de sede. É ainda importante que associe a ingestão de alimentos ricos em água, como, por exemplo, melancia, melão, laranja, leite e iogurte, sumos de fruta 100% e sopa de produtos hortícolas.
​​
Se não gosta de água, pode adicionar chá ou tisanas, pequenas porções de sumo de fruta, como limão ou laranja, aromatizar com hortelã ou hortelã- pimenta, rodelas de limão ou laranja, canela, framboesas inteiras ou bagos de romã. Sem adicionar açúcar! 
Notícias relacionadas