Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
3 junho 2017
Texto de Delphine Dias (Nutricionista) Texto de Delphine Dias (Nutricionista)
Dietas ioiô

​​​​​​​Emagrecer de forma rápida é a pior opção.

Tags
Nutrição Revista Saúda #20
Quem não conhece quem viva permanentemente em dieta, emagrece muito rápido, volta a recuperar o peso perdido e começa nova dieta? Esta flutuação no peso é geralmente denominado como “efeito ioiô”. A perda de peso rápida provoca um desequilíbrio metabólico, em que o organismo não tem tempo para se habituar, tornando a fase de manutenção mais difícil.

O corpo procura manter o equilíbrio e, face à omissão de refeições e excessiva restrição calórica, irá procurar sobreviver e reservar alguma energia. Para além de não atingir o objectivo, podem surgir consequências, por vezes irreversíveis, como problemas renais, hepáticos e fadiga. Não existe solução milagrosa, nem é conhecida nenhuma ‘fórmula’ para uma perda de peso rápida e equilibrada.

Estudos referem que o ritmo de perda de peso deve ser de cerca de 0,5 a 1kg por semana. É provável que obtenha resultados rápidos se limitar a quantidade de alimentos ingerida e realizar uma actividade física que anteriormente não praticava. Mas será exequível fazê-lo num período prolongado, no âmbito da rotina diária, social e familiar?

Provavelmente a taxa de sucesso a longo prazo será reduzida, originando um incumprimento da dieta, e situações de frustração e desmotivação.

A finalidade de uma dieta deve ser a perda de gordura e o ganho de massa muscular, seguindo os ritmos e as necessidades de cada organismo, o que só é possível com a mudança dos hábitos alimentares, a prática de exercício físico e métodos benéficos para a saúde. Uma alimentação incorrecta, a falta de vitaminas, minerais e macronutrientes fundamentais para os processos celulares pode enfraquecer o sistema imunitário e diminuir a qualidade de vida.

Algumas sugestões:
  • A alimentação deve ser variada, equilibrada e completa, de acordo com a Roda dos Alimentos, e diferente ao longo do ano, respeitando a sazonalidade dos alimentos, tal como é representado pela Dieta Mediterrânica

  • A fase de manutenção de peso é muito importante. Quem pratica as dietas “da moda”, e procura perder peso acima das recomendações poderá prejudicar a saúde e ganhar o peso perdido em valor igual ou superior

  • O aumento de apetite é um alerta para um futuro aumento de peso, pelo que é pertinente perceber a causa para controlar a situação a tempo

  • Com a chegada do Verão, multiplica-se a informação sobre dietas milagrosas. Caso não seja possível alcançar o peso desejado sem auxílio, recomenda-se o contacto com um nutricionista para elaborar um plano alimentar adequado às necessidades, tendo em conta os gostos, hábitos e rotinas diárias

  • Num processo de mudança, o sucesso pode demorar. É importante que se pretenda uma redução gradual de peso e, acima de tudo, um ganho em saúde

  • Atitudes simples como iniciar o dia com o pequeno-almoço, evitar ingerir alimentos a que não resiste e ter sempre sopa de legumes para uma emergência poderão ser o pontapé de saída
Notícias relacionadas