Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
16 outubro 2015

Dermatoscopia nas farmácias vence Prémio João Cordeiro

​O grande vencedor do Prémio João Cordeiro 2015 é o projecto “Dermatoscopia nas farmácias”, que visa a detecção precoce, nas farmácias, do cancro e outras doenças de pele.​

João Júlio Cerqueira, médico de medicina geral e familiar, e David Monteiro, engenheiro civil, propõem-se instalar nas farmácias dermatoscópios, aparelhos que “fotografam” a pele e as suas pigmentações com grande precisão. As fotografias, posteriormente analisadas por dermatologistas, serão poderosos instrumentos de detecção precoce de doenças. 

O Prémio João Cordeiro – Inovação em Farmácia visa apoiar a implementação, na rede de farmácias, de ideias inovadoras, úteis à saúde pública e à qualidade do serviço farmacêutico. Os vencedores vão investir os 20 mil euros do prémio na aquisição de 18 dermatoscópios. O júri, presidido por Diogo de Lucena, valorizou a aposta nas novas tecnologias para promover a vigilância e prevenção na área da Dermatologia, necessidade há muito detectada no nosso sistema de saúde. Por outro lado, acredita ainda na possibilidade de internacionalização do projecto. 

Na categoria Responsabilidade Social, venceu o projecto “Cura+”, que pretende apoiar doentes com dificuldades económicas na aquisição de medicamentos sujeitos a receita médica. Equipas de voluntários vão incentivar os utentes das farmácias a comparticipar os medicamentos de cidadãos sinalizados por instituições particulares de solidariedade social. Este projecto é uma iniciativa de Joana Carvalho e Sara Baptista, alunas do 4.º ano do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas, da Universidade do Porto. 

Ana Leal, jornalista da TVI, venceu na categoria de Comunicação Social, com a reportagem “Até Voares”. O protagonista é João Almiro, farmacêutico que aos 90 anos partilha a sua casa com dezenas de pessoas, de todas as idades, vítimas de maus tratos, abusos sexuais, do vício ou do crime.​