Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
22 novembro 2016
  Saúde
Texto de CEDIME Texto de CEDIME
Atchim, não!

​​​​Não deixe uma constipação agravar-se e dar cabo das compras de Natal.

​O que é uma constipação?

A constipação é uma infecção das vias respiratórias superiores, o que significa que afecta sobretudo o nariz e a garganta, podendo também afectar os ouvidos. Pode ser provocada por mais de duas centenas de vírus, embora os rinovírus sejam os mais comuns, mas é essa multiplicidade de agentes infecciosos que explica a variedade dos sintomas e a inexistência de uma vacina.

Os vírus entram no organismo pelo nariz ou pela boca, através do contacto com secreções respiratórias de pessoas infectadas. O simples acto de tossir ou espirrar pode ser suficiente para um contágio, assim como o contacto com mãos e objectos contaminados.
 
Os sintomas surgem gradualmente, dois a três dias após o contágio, podendo manter-se por duas semanas, apesar de a maioria das pessoas recuperar em metade desse tempo (cinco a sete dias).


Quais são os sintomas?

Espirros
Comichão e vermelhidão no nariz
Nariz a pingar ou congestionado
Garganta irritada ou dificuldade em engolir
Olhos lacrimejantes
Fadiga, dores de cabeça e corporais, ligeiras a moderadas
Diminuição do paladar e do olfacto
Por vezes, febre baixa 

 
O que ​uma constipação não é

Não é gripe. A gripe surge de forma súbita, com febre elevada, prostração e dores musculares intensas. Os sintomas respiratórios podem surgir apenas ao fim de dois a três dias e são geralmente mais intensos, afectando também o sistema respiratório inferior – brônquios e pulmões.

Não é rinite alérgica. Na rinite alérgica não há febre, dor e cansaço geral, sendo que se manifesta por vários dias consecutivos, acompanhada, por vezes, de comichão nos olhos.

Não é sinusite. Neste caso há congestão nasal, com corrimento verde ou amarelo, tosse, dores faciais e, por vezes, dores de cabeça. Pode ocorrer também febre geralmente baixa.
 
 
Como se trata?

Não há medicamentos específicos para o tratamento da constipação. A terapêutica medicamentosa tem por objectivo o alívio dos sintomas e, conforme o aconselhamento farmacêutico, pode ser feita com:

Analgésicos para a dor e antipiréticos para a febre, quando ela existe, a que se juntam os anti-inflamatórios. Atenção: no caso das crianças, não se deve recorrer a Aspirina ou derivados.

Anti-histamínicos para o corrimento nasal e espirros. Devem ser usados com moderação.

Descongestionantes tópicos ou sistémicos para desentupir o nariz, ou sprays de água do mar, para lavagem nasal.

Pastilhas ou drageias para a garganta irritada.

Se se constipa mais de seis vezes num ano, procure um médico.

O repouso ajuda ao restabelecimento. Beba muita água, assim como sopas ou sumos de fruta. As vaporizações ou atmosferas húmidas ajudam a fluidificar as secreções mas não devem conter essências.
 

Quem atinge?

A constipação é a infecção viral mais frequente no ser humano e pode afectar qualquer pessoa, em qualquer idade. Nos adultos, isso acontece duas a quatro vezes por ano, em média, podendo ser mais frequente nas crianças. Quando a frequência é superior a seis vezes num ano, é aconselhável uma avaliação médica.

Sendo uma doença benigna e passageira, a constipação pode, ainda assim, causar algumas complicações na população mais vulnerável, designadamente  crianças, idosos e doentes respiratórios, apresentando o risco de evoluir para pneumonia ou otite.


Medidas de prevenção

Lave as mãos frequentemente e sobretudo depois de espirrar, tossir, de se assoar ou assoar uma criança.
Use lenços de papel, deitando-os fora após cada utilização.
Cubra o nariz ou a boca, com o antebraço, quando espirrar ou tossir.
Evite beber pelo mesmo copo, caneca ou garrafa de outra pessoa.
Use uma toalha só para si.
Evite o contacto prolongado com pessoas constipadas; se estiver doente, evite estar perto de pessoas saudáveis.