Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
1 julho 2017
Texto de Maria João Veloso Fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes Fotografia de Miguel Ribeiro Fernandes Texto de Maria João Veloso
As conquistas de D. Dinis II
​​​​​​​​​​Com um mês e meio, Dinis já é gente. 
Tags
Revista Saúda #21 Bebés Saúda Bebé Dinis

​A sua presença alterou por completo o quotidiano de Zara Mesquita e Luís Furtado, que já não se lembravam da sensação de ter um recém-nascido em casa. Quando olhamos para esta perfeição carregada de cheiro a bebé, nem acreditamos que seja possível que dê más noites e tenha vindo ao mundo cheio de manhas. Ainda assim não o trocavam por nada deste mundo. 

À mãe, Dinis preenche-a, fazendo-a sentir-se «uma mulher feliz e realizada». Já ao pai, apesar de ter dificuldade de pôr em palavras a emoção que foi tê-lo nos braços logo que nasceu, recomenda vivamente que todos «façam um esforço para assistir ao nascimento de um filho». 

É aí que a aventura começa. A princípio, para não gorar as expectativas da mãe, apresentou-se como um bebé calmo, para logo de seguida ter cólicas, ser agitado, chorão e «petisqueiro». Ou seja, só está plenamente feliz se estiver enroscado ao peito da mãe a exercer a sua actividade principal: mamar. Depois fecha os olhos e adormece a sorrir.​​​

Notícias relacionadas