Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
11 março 2017
  Saúde
Texto de Sónia Balasteiro Fotografia de Pedro Loureiro Fotografia de Pedro Loureiro Texto de Sónia Balasteiro
Aprender a viver

​​​​​​​​​​​​Luís Filipe Borges descobriu as potencialidades do exercício físico e da alimentação saudável.

Tags mais populares
Heróis Saúda Revista Saúda #17 Pele Doenças crónicas Exclusivo online Vídeo

Regularizou o sono, emagreceu e controlou as fases piores da psoríase, que se tornaram bem mais escassas. Luís Filipe Borges descobriu há dois anos os efeitos rejuvenescedores do exercício físico. «Como treino quatro, cinco vezes por semana, chego a casa e dá-me sono na hora certa». Mas não só: «O exercício também ajudou-me a acordar muito mais cedo, a viver mais a manhã, a apanhar mais a luz do sol. Eu tinha uma vida um bocado nocturna, não boémia, mas nocturna. Eram as horas melhores para escrever porque há silêncio e agora tenho uma vida bem mais regrada e saudável. Tudo isso obviamente ajuda».

 


Outra das descobertas que fez foi a alimentação saudável. «Embora não seja daqueles maluquinhos que só comem goji e chia… Eu era preguiçoso, basicamente. Nunca fui glutão mas era preguiçoso, não variava na comida, gostava muito de carne, não ligava ao peixe. Hoje em dia como imenso peixe, não deixei de comer carne mas tornei-me um apreciador, comecei a variar muito mais, reduzi no pão. Há, sei lá, três anos que não bebo refrigerantes. Antes bebia dois, três por dia e demorei muito tempo a aperceber-me do absurdo, da quantidade de açúcar que tem».
Notícias relacionadas
Galerias relacionadas