Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
4 novembro 2017
Texto de Rita Leça Texto de Rita Leça Fotografia de DR Fotografia de DR

«Amália visitou-me no hospital quando tive o cancro»

​​​​​​Entrou discretamente, já de noite, para apoiar o amigo. Uma atitude que Marco Paulo não esquece nunca.

Tags
Marco Paulo guarda no coração o momento em que, após horas de exames, soube que a sua amiga Amália Rodrigues tinha ido visitá-lo ao hospital. Passados 20 anos, ainda recorda esses momentos com emoção.  

«Uma pessoa que sai de casa à noite para ir ao hospital ver-me, quando eu estava doente, com cancro, quando mais ninguém do meio musical o fez, só pode ser alguém com uma alma muito grande e reflexo de uma grande amizade. São gestos que não se esquecem nunca», confessa o cantor, lamentando não ter estado presente para a receber. «Estava a fazer exames. Mas avisaram-me logo».

Uma amizade nutrida com uma «imensa admiração». 

«Os discos da Amália transmitiam algo especial ao meu coração. Sempre que saía um disco, eu adorava comprar e ouvir logo», lembra Marco Paulo, assumindo que planeia cantar um dos seus inúmeros fados durante o concerto no Altice Arena, a 2 de Dezembro. 

«Enquanto eu for vivo, estará sempre no meu coração. A Amália e a minha mãe. Estarão sempre vivas no meu coração», conclui, emocionado, o cantor.

 

​​