Política de utilização de Cookies em ANF Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
6 dezembro 2016
  Abem
Texto de Sónia Balasteiro Fotografia de Pedro Loureiro Fotografia de Pedro Loureiro Texto de Sónia Balasteiro
A diferença a acontecer

​​​​​​O sonho já é real para 717 pessoas de Rio de Mouro, Sintra.

No Centro Paroquial, a comitiva tinha à espera algumas das 212 famílias carenciadas que ali recebem apoio, para a entrega de 50 cartões Abem. Com estes cartões, os beneficiários conseguem aceder sem custos, na farmácia, a todos os medicamentos que lhes são prescritos pelo médico. Paulo Cleto Duarte salientou a virtude desta primeira iniciativa da Associação Dignitude, a que preside. «O nosso principal objectivo com o Abem é garantir que nenhum português possa não ter acesso à sua medicação por questões económicas», referiu, lembrando a realidade mostrada pelas estatísticas: «Um em cada cinco portugueses 

Uma ajuda «vital»
Na Farmácia Serra das Minas, também em Rio de Mouro, os profissionais conhecem bem as dificuldades dos utentes. Joana Santos, directora-técnica, conta que naquela
região «existe muita carência económica». Daí que a farmácia tenha sido uma das primeiras a aderir ao projecto, logo em Maio.
Conforme explica, para muitas pessoas, a comparticipação do Abem significa «a saída de um sufoco». Por isso, na farmácia, a equipa encaminha os mais carenciados para a entidade referenciadora, o Centro Paroquial. «O utente  não paga nada pelos medicamentos. É uma ajuda essencial, vital mesmo». Por outro lado, «o Abem veio ajudar-nos a ter a garantia da adesão, a 100%, à terapêutica», e isso é outro aspecto que, para Joana, deve ser salientado. tem dificuldades em ter os medicamentos de que precisa». Mariana Alcaparra é uma delas. Faz parte das 717 pessoas que são abrangidas pelo Abem em Rio de Mouro. Conta que recebeu o seu cartão em Maio e «foi um bem que me bateu à porta. Tinha problemas cardíacos e, todas as vezes que ia à médica, não conseguia suportar o valor das receitas. Ou não comia mesmo ou não comprava a medicação». Para além desta, mais 11 localidades em todo o país têm experiências-piloto do Programa Abem a decorrer. Estão abrangidas «1.500 pessoas, 168 das quais são crianças», sublinhou Paulo Cleto Duarte.​
Notícias relacionadas