Política de utilização de Cookies em Revista Saúda Este website utiliza cookies que asseguram funcionalidades para uma melhor navegação.
Ao continuar a navegar, está a concordar com a utilização de cookies e com os novos termos e condições de privacidade.
Aceitar
30 novembro 2018
Texto de Hugo Rodrigues (Pediatra) Texto de Hugo Rodrigues (Pediatra)

A ceia de família

​​​​​​​​A passagem de testemunho entre gerações é fundamental.

Tags
Todas as famílias têm hábitos, tradições e uma identidade comum. Faz sentido tentar mantê-las e passá-las de geração em geração, pois isso perpetua as memórias e o sentimento de pertença ao grupo mais importante: a família.

Desde o nascimento, convivemos com rotinas familiares. Os melhores exemplos são as festas de família, em que tudo decorre de forma quase ensaiada. Sabe-se o que cada um vai cozinhar ou preparar, quem vai animar o serão, quem vai dizer as piadas e quem vai ficar com sono mais cedo. Isto fomenta o espírito de união entre todos e promove a expectativa de ser assim na festa seguinte. Para as crianças, este aspecto é muito importante, porque a previsibilidade dá-lhes segurança. Permite-lhes encontrar o espaço nessa dinâmica. Mesmo em silêncio e de forma discreta, vão aprender a observar os elementos da família, imitando aqueles com quem mais se identificam. Rapidamente passam a desempenhar um papel nesses momentos, fazendo-as sentir-se especiais. Esta sensação contribui para o desenvolvimento da auto-estima e da confiança. Outro ponto importante é a passagem de testemunho entre gerações. É fundamental e só se consegue através do convívio com as pessoas mais velhas. As festas familiares desempenham um papel importantíssimo nesse campo. Os papéis vão sendo reformulados, com a entrada de novos elementos na família e a saída de outros. É assim que os princípios se reformulam e reconstroem. E os valores familiares perpetuam-se no tempo.


INTRODUÇÃO DOS SÓLIDOS
[Céu Fernandes]
O meu bebé tem cinco meses e começou a sopa mas não sei qual a melhor ordem de introdução dos legumes. Tem alguma tabela ou lista que me possa ajudar? E as papas, quando posso introduzir? E em que horário devo dar?
Em relação aos legumes, não existe propriamente uma regra rígida. Na verdade, pode ir incluindo todos com excepção do nabo, nabiça, espinafre, beterraba e aipo. A partir dos sete meses pode passar a fazer duas sopas por dia. As papas também podem ser introduzidas nessa idade, de manhã, a meio da tarde ou à noite, consoante o que for mais funcional em termos familiares.

DOR DE BARRIGA
[Maria Rato]
A minha filha queixa-se muito de dor de barriga e tem medo de vomitar. Está a comer muito pouco e até tem olheiras. Já anda há uns meses assim. Às vezes tem vómitos mas não vomita. Já foi desparasitada mas continua na mesma.
Se já anda assim há uns meses é melhor ser observada em consulta, para se tentar perceber a causa. É também muito importante controlar o peso, para ver se está a emagrecer devido à recusa em comer. De qualquer forma, faz algum sentido experimentar trocar o leite para um sem lactose, para ver se melhora.
Notícias relacionadas
Links relacionados